Autoras:
MARISTELA PIMENTEL
SIMONE PASQUALOTO
STEFANI LORENA TAMIOSO.[2]

Resumo: No presente trabalho abordaremos o tema “A importância do Lúdico na Educação Infantil”, Pré-escola enfatizando as práticas da musicalidade e brincadeiras.  Para respaldar o nosso trabalho utilizaremos alguns autores os quais consideramos mais significativos para o nosso estudo. Desse modo abordaremos a importância do Lúdico no desenvolvimento, na aprendizagem, como também na vida dessas crianças.

 

PALAVRAS-CHAVE: Educação Infantil, Lúdico, Musicalidades e Brincadeiras.

Introdução

            O tema que abordaremos no artigo hora apresentado partiu de uma inquietação oriunda da realização do Estágio Supervisionado III, do 3º ano do Curso de Pedagogia da

UNIOESTE – Universidade Estadual do oeste do Paraná.

            O desenvolvimento do estágio ocorreu em um CEMEI (Centro Municipal de Educação Infantil), na sala de Pré I, a qual trabalha com crianças de 3 a 4 anos de idade.

Durante o nosso Estágio Supervisionado, etapas de observação e regência, desenvolvidas com as crianças, perceberam que há certo comodismo por parte dos professores regentes em seu cotidiano, ao propor as atividades para as crianças. Verificamos que eles seguem uma rotina a qual não valoriza as atividades lúdicas. Nesse sentido, acreditamos que esse nosso estudo se justifica, já que nos propomos a construir uma rápida reflexão sobre a significativa contribuição dos lúdicos: musicalidade e brincadeira no processo de ensino aprendizagem dos infantes.

Ainda, queremos evidenciar a necessidade dos professores regentes inserirem em seus planos e projetos educacionais esses recursos, os quais levarão, com certeza, as crianças a uma melhor aprendizagem.

                  Brincadeiras e Musicalidade: a educação lúdica

 O lúdico tem origem da palavra latina “ludus” que quer dizer jogo. Ele é necessário para o desenvolvimento infantil, já que a criança necessita de brincadeiras e músicas para o seu crescimento, pois desde muito cedo a ela se comunica por gestos, depois por sons, representando papéis em suas brincadeiras, desenvolvendo assim sua criatividade e sua imaginação.

[...] A educação lúdica é uma ação inerente na criança e aparece sempre como uma forma transacional em direção a algum conhecimento, que se redefine na elaboração constante do pensamento individual em permutações constantes com o pensamento coletivo. [...] (ALMEIDA, 1995, p.11)

 

            A brincadeira e a musicalidade não dependem da época, classe social ou até mesmo da cultura. Tem por finalidade demonstrar o mundo de fantasias, um mundo de sonhos, transformado no mundo do faz de conta, mostrando o contrário do que dizem as antigas civilizações, os quais tratavam as crianças de maneira diferenciada da de hoje em dia, ou seja, desconsideravam a importância da brincadeira no seu desenvolvimento cognitivo.

Tanto as brincadeiras quanto a música fazem com que a criança aprenda com alegria e de forma prazerosa, sendo assim necessárias no processo pedagógico, pois o lúdico possibilita para a criança um significado maior no processo de ensino aprendizagem, estimulando a vida social e construtiva da mesma.

Segundo Mottta (2005):

“A ludicidade do mundo infantil busca resgatar a trajetória  da música no mundo  da criança  que esta está e estará sempre presente, esperando somente uma oportunidade de aflorar seus sons, , ritmos, harmonias e melodias tão importantes no desenvolvimento infantil.”( p. 611)

                       

No decorrer do nosso estágio percebemos que as professoras não desenvolvem seus trabalhos aplicando brincadeiras e músicas, isso se dá pela falta de materiais na instituição, como também por falta de interesse das próprias regentes.

 Ao executarmos o nosso planejamento decidimos aplicar o lúdico: brincadeiras e músicas na maioria das aulas, a fim de motivar as crianças. Respaldados em vários autores, tais como: Motta, Almeida, Vigotsky, norteamos nosso planejamento e projeto. Com essa metodologia fizemos com que as crianças saíssem de sua rotina e demonstrassem interesse pelas atividades oferecidas e que também mostrassem melhoras no relacionamento com as outras crianças e com a sociedade.

Visto que na perspectiva Vigotskiana, a criança inserida no meio social é produto do contexto cultural, o que facilita a exploração da sua criatividade, imaginação e suas experiências, a proposta do lúdico está em transmitir uma alfabetização incorporando na prática, educação e conhecimento, os pensamentos, a fala e os seus sentimentos.

De acordo com Vygostsky (1984 p.97).

 

“A brincadeira cria para as crianças uma” zona de desenvolvimento proximal” que não é outra coisa senão a distância entre o nível atual do desenvolvimento, determinado pela capacidade de resolver independentemente um problema, e o nível atual de desenvolvimento potencial, determinado através da resolução de um problema sob orientação de um adulto ou com a colaboração de um companheiro mais capaz”.

 

A Ludicidade é necessária para o desenvolvimento de todo ser humano de qualquer idade, sendo que facilita a aprendizagem no desenvolvimento pessoal, social, colaborando até mesmo para uma boa saúde.

                                 Já o brincar na educação infantil contrapõe a racionalidade, em que a criança ao desenvolver brincadeiras passa a distinguir costumes e os hábitos no meio em que está inserida.

As brincadeiras devem, porém, estar presentes no cotidiano da criança. O professor, porém, deve planejá-las buscando alternativas dinâmicas para que a criança desenvolva e interaja de maneira criativa.

Na experiência vivenciada, como observadora, na sala de Pré I, notamos que  brincadeiras não são muitos desenvolvidas e  que as crianças não possuem espaços adequados para isso. Além disso, percebemos que não há brinquedos bons para que as crianças possam desfrutá-los, existem apenas sucatas. Os profissionais que ali atuam não se preocupam em desenvolver atividades lúdicas diferentes, em dar um tempo para as crianças brincarem se sentindo livres, para brincarem do que quiserem.

A ludicidade é essencial na infância e o brinquedo permite que através dele a criança estimule e expresse as imagens que evocam a realidade. Dessa forma, o brinquedo sempre representa realidades, sendo que permite à criança que explore o que existe no meio onde vive, até na natureza. Negrine (1994, p.19) sustenta que:

 

“As contribuições das atividades Lúdicas no desenvolvimento integral indicam que elas contribuem poderosamente no desenvolvimento global da criança e que todas as dimensões estão intrinsecamente vinculadas: a inteligência, a afetividade, a motricidade e a sociabilidade são inseparáveis, sendo a afetividade a que constitui a energia necessária para a progressão psíquica, moral, intelectual e motriz a criança”

 

Ao brincar a criança estimula sua sensibilidade visual e auditiva, exercitando sua imaginação, pois a rotina das crianças em apenas comer, dormir e assistir a desenhos animados, com os quais os alunos já estão acostumados, como o vivenciado, impede com que as mesmas se socializem, interaja e construa conhecimento. Através das atividades lúdicas a criança reproduz várias situações vivenciadas no dia a dia, as quais  se reelaboram pelo faz - de -conta e pela sua imaginação.

As brincadeiras são sinônimas de aprendizagem, pois geram para a criança necessidade de pensar, de desenvolver o pensamento, desenvolvendo habilidades, conhecimentos e a criatividade.

Atualmente, percebe que muitas vezes o professor é visto e atua como informador e o aluno têm apenas papel de ouvinte, onde não tem vez para expor, mostrar as suas idéias, mostrando sua capacidade.

No entanto as brincadeiras adquiridas pelo aluno são experiências prazerosas, ao dar ênfase na ludicidade, favorece a criança a formar um conceito do mundo, vivenciando e estimulando a criatividade e os direitos que da para a criança.

O lúdico não favorece somente o sucesso pedagógico, todavia contribui para a formação do cidadão.

 

 

                             Considerações Finais

Com os estudos realizados, cujo tema surgiu a partir de nossas reflexões no Estágio Supervisionado III, concluímos que de fato a atividade lúdica é de fundamental importância para a Educação Infantil. Vimos que os recursos: brincadeiras e musicalidade devem fazer parte da rotina de atividades com crianças, já que possibilitam o seu desenvolvimento e aprendizagem. Constatamos que nós, como futuras educadoras, precisamos fundamentar cada vez mais nossos estudos sobre o lúdico, a fim de propiciar aos nossos alunos uma aprendizagem com mais alegria e motivação.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

ALMEIDA, Paulo Nunes de. Educação lúdica: técnicas e jogos pedagógicos. São Paulo: Loyola, 1995.

MORAES, J. Jota de.  O que é música. São Paulo: Brasiliense 1991.

MOTTA, Maria da Graça Corso da; “O lúdico e o desenvolvimento infantil: um enfoque na música e no cuidado da enfermagem. Ver. Bras. Enferm. [Online] 2005 n. 5, (pp. 611- 613).

NEGRINE A. O lúdico no contexto da vida humana: da primeira infância à terceira idade.  In: Santos MP. Brinquedoteca: a criança, o adulto e o lúdico. Petrópolis (RS). Editoras vozes: 2000 (p. 15 – 36)

VIGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984. São Paulo: Cortez, 1995.

 

[1] Artigo elaborado a partir das experiências vivenciadas no Estágio Supervisionado III, realizado no CMEI- Pequeno Príncipe. Sobre orientação da Professora Mirélia Flausino..

[2] Acadêmica do 3° Ano de Pedagogia Noturno, UNIOESTE, Campus de Francisco Beltrão. E-mail: [email protected]

 

Revisado por Editor do Webartigos.com