A Importância Do Fluxo De Caixa Nas Empresas
 
A Importância Do Fluxo De Caixa Nas Empresas
 


José Roberto da Silva1 e Robernei Aparecido Lima2

Universidade do Vale do Paraíba, Av. Shishima Hifumi, 2911  Urbanova  São José dos Campos-SP

[email protected] e [email protected]

Resumo

O fluxo de caixa é um instrumento eficaz para empresa que pretende ter um controle de saídas e entradas de recursos financeiros. É uma ferramenta de análise financeira em curto prazo, e hoje com a grande competitividade no mercado, as empresas não podem abrir mão de uma ferramenta como esta. O objetivo deste trabalho é mostrar a grande importância de se ter um fluxo de caixaa disposição da empresa. A problemática a ser analisada é o desconhecimento desta ferramenta pela maioria dos empresários, gestores, administradores, contadores. A metodologia adotada paraelaboração deste artigo é utilização de pesquisa bibliográfica, buscando as informações sobre esta demonstração, com utilização de livros, artigos e Monografias. O resultado deste trabalho mostra o desconhecimento dos empresários desta ferramenta. A conclusão é que o fluxo de caixa é extremamente importante para as empresas, para que ela tenha um controle eficaz.

Palavras-chave: Planejamento, Controle e Decisão

Área do Conhecimento: Ciências Sociais Aplicadas

Introdução

Hoje em um mundo tão competitivo, onde cada empresa de uma forma ou de outra trabalha firmemente em se diferenciar para obter êxito em seus negócios e atingir os resultados esperados temos aferramenta chamada fluxo de caixa que é de grande auxilio aos que buscam esta performance, o fluxo caixa possibilita ao empresário ter um controle muito eficaz de seus recursos.

A problemática a ser discutida neste trabalho éo desconhecimento dos empresários quanto à utilização do fluxo de caixa.

O objetivo deste trabalho é mostrar a importância do fluxo de caixa nas empresas, o quanto é eficaz para quem quer ter respostas rápidas quanto à entrada de saída de recursos financeiros.

A necessidade de se ter um demonstrativo financeiro já vem sendo discutido desde a década de 60 nos Estados Unidos, e nos últimos anos no Brasil alguns autores, como Campos Filho, Frezatti, Santi Filho e o mais recente Marion, vem discutindo sobre o fluxo de caixa como uma ferramenta ideal para se ter um controle eficaz da entrada e saída de recursos financeiros.

Metodologia

Buscando uma fundamentação teórica sobre a importância do fluxo de caixa nas empresas, as pesquisas realizadas foram em torno de livros de contabilidade, de demonstração de fluxo de caixa, publicados por professores,pesquisadores, teses de mestrado, artigos publicados em revista de grande circulação sobre contabilidade.

Contabilidade

Contabilidade é a ciência que registra os acontecimentos verificados no patrimônio de uma entidade. Leal Bruni e Famá (2006). A contabilidade tem sido classificado, quanto à suas finalidades, como ciências social, embora sua metodologia de mensuração abarque também o quantitativo. Conceituada como sendo um sistema de informações e avaliação, capaz de prover seus usuários com demonstrações de natureza econômica, financeira, fisica e deprodutividade, devidamente estruturadas, tem se constituido, ao longo dos tempos, ferramenta indispensavel à boa gestão das organizações. Monografia apresentada por Fábio Castelo Branco Ponte de Araújo, Maria Monte Holanda e Norma Vasconcelos Uchoa na Universidade do Grande Rio em Fortaleza em 2004.

Contabilidade Gerencial

A contabilidade gerencial é voltada para a administração de empresas, objetiva gerar informações úteis ao processo de gestão empresarial. Não se condiciona à imposições legais; tem o objetivo único de fornecer subsídios para o processo de tomada de decisões. Leal Bruni e Famá (2006).

Contabilidade Financeira

Contabiidade Financeira: condicionada às imposições legais e aos requisitos fiscais. É obrigada a seguir as normas e os dispositivos legais, que facilitam o posterior trabalho da auditoria, mas que podem mascarar e distorcer o uso da informação no processo de tomada de dec isão empresarial. Contabilidade Financeira preocupa-se com o usuário externo da informação, como o Fisco, bancos, credores ou acionistas minoritarios. Leal Bruni e Famá (2006)

Fluxo de Caixa

O fluxo de caixa constitui-se em instrumento essencial para que a empresa possa ter agilidade e segurança em suas atividades financeira. Logo, o fluxo de caixa deverá refletir com precisão a situação econômica da empresa, em termos financeiros de futuro. O fluxo de caixa é o instrumento que permite ao administrador financeiro planeja, organizar, coordenar, dirigir e controlar os recursos financeiros de sua empresa para determinado período. Monografia apresentada por Fábio Castelo Branco Ponte de Araújo, Maria Monte Holanda e Norma Vasconcelos Uchoa na Universidade do Grande Rio em Fortaleza em 2004.

Segundo Campos Filho (1.999) os administradores, contadores, os gestores precisam ter informações confiáveis, de fácil entendimento, que estejam disponíveis em tempo hábil. O feeling do empresário precisa ser completado com o que dizem os números gerados pelos controles, precisam acompanhar os acontecimentos no mundo e principalmente no Brasil, avaliando sua influência no segmento dos negócios e financeiro. Já podemos elaborar orçamentos de caixa para, pelo menos, três meses. Isso custa pouco e traz bons benefícios, por permitir visualizar com antecedência as necessidades financeiras.

Conforme Gitman (1997:586), apud de Campos Filho, o planejamento de caixa é a espinha dorsal da empresa. Sem ele não se saberá quando haverá caixa suficiente para sustentar as operações ou quanto se necessitará de financiamentos bancários. Empresas que continuamente tenham falta de caixa e que necessitem de empréstimos de última hora, poderão perceber como é difícil encontrar bancos que as financie.

Segundo Marion (2008) todo mundo tem seu fluxo de caixa. Por mais simples que uma pessoa seja, ela tem de memória quanto entrou de dinheiro no mês e quanto saiu,, quanto foi gasto. Até uma criança que ganha mesada sabe seu fluxo financeiro.

Conforme Frezatti (1997 p.27,280), geração de caixa é algo fundamental na organização, em seu estágio inicial, em seu desenvolvimento e mesmo no momento de sua extinção. Toda teoria de finanças leva em conta isto. Afinal, as decisões empresariais buscam, de alguma forma, demonstrar a geração de caixa que possam trazer, seja um projeto de investimento isolado, tendo seu mérito avaliado, ou um caso de fusões e aquisições em que o EVA(Economic Vale Added) seja identificado. Se isto é verdade, porque as organizações se conformam em dispor de instrumentos que apresentem elementos que sãochamados de quase caixa? Averdadeira resposta pode estar ligada a inúmeros requisitos, muito embora, certamente, questões práticas ligadas a sistemas de informações, enfoque de gestão e mesmo formação dos gestores possam explicar individualmente as razões.

Um instrumento gerencial é aquele que permite apoiar o processo decisório da organização de maneira que ela esteja orientada para os resultados dos pretendidos. Considerar o fluxo de caixa de uma organização um instrumento gerencial não significa que ela vai prescindir da contabilidade e dos relatórios gerenciais por ela gerados. Ao contrário, com o fortalecimento dos relatórios gerenciais gerados pela contabilidade se pretende aliar a potencialidade do fluxo de caixa para melhor gerenciar suas decisões. Trata-se de considerar que o fluxo de caixa também deva serarrolado com instrumento que traga subsídios para o processo de tomada de decisões. Na verdade, o simples reconhecimento disso já é um grande passo para que os gestores do negócio possam dispor de informações adequadas.

Segundo Santi Filho (2004) é possível que uma empresa apresente lucro liquido e um bom retorno sobre investimentos e ainda assim vá à falência. O péssimo fluxo de caixa é o que acaba com a maioria das empresas que fracassam".

O Demonstrativo de Fluxo de Caixa deve focalizar os recebimentos e pagamentos em termos de caixa e deve analisar as variações nos saldos e aplicação de caixa.

Na Monografia apresentada por Fábio Castelo Branco Ponte de Araújo, Maria Monte Holanda e Norma Vasconcelos Uchoa na Universidade do Grande Rio em Fortaleza em 2004, descrevem com muita propriedade que o Fluxo de Caixa constitui-se em instrumento essencialpara que a empresa possa ter agilidade e segurança em suas atividades financeiras, logo, o fluxo de caixa deverá refletir com precisão a situação econômica da empresa, em termos financeiros de futuro.

Segundo Henriksem (1982:109), apud deCampos Filho; A necessidade de se desenvolver demonstrativos de fluxo de caixa decorre do aumento da complexidade das atividades operacionais que são as principais atividades geradoras de receita da empresa.

Resultados

Podemos verificar neste trabalho que a contabilidade tem se constituído ao longo dos tempos, ferramenta indispensável à boa gestão das organizações, vimos uma contabilidade gerencial voltada para a administração das empresas e uma contabilidade financeira condicionada às imposições legais e aos requisitos fiscais, também vimoscomo é importante o fluxo de caixa na vida da empresa, como ele auxilia de maneira eficaz o empresário em suas tomadas de decisões, as informações são mais ágeis e os empresários precisam estar atentos aos acontecimentos no mundo e principalmente no Brasil, portanto os números de sua empresa precisam ser confiáveis e o fluxo de caixa controla toda saída e entrada de dinheiro, e possibilita esta confiabilidade nas informações.O péssimo fluxo de caixa é o que acaba com a maioria das empresas que fracassam, portanto o fluxo de caixa é um instrumento essencial para a saúde financeira da empresa.

Discussão

Verificamos que sem a obrigatoriedade de se ter este demonstrativo os empresários não se interessam em trabalhar com esta ferramenta, e conseqüentemente eles não tem idéia da importância de se ter um controle tão eficaz de suas entradas e saídas de recursos, vimos que existe uma grande necessidade de se ter este controle, para que as empresas possam sobreviver, ter sucesso em suas atividades, planejar melhor para obter resultados satisfatórios, ter competitividade em um mercado tão competitivo como o que vivenciamos no mundo de hoje, onde os clientes estão mais exigentes, buscando qualidade mais também preços mais acessíveis, e que ao contrario de tudo isto uma empresa pode ir a falência por não ter um fluxo de caixa adequado, apuramos também que o fluxo de caixa é um grande instrumento de apoio ao processo decisório de uma organização.

O desconhecimento da maioria dos empresários quanto a eficácia do fluxo de caixa é a grande problemática encontrada após a conclusão deste trabalho.

Conforme Marion (2008) nos coloca a seguinte discussão; Porque a contabilidade no Brasil dá pouco valor à DFC. Ainda que nos EUA seja o relatório preferido, mais utilizado, no Brasil é uma demonstração quase desprezada. A maioria dos escritórios de contabilidade que presta serviços às micro e pequenas empresas (em torno de 90 % das empresas brasileiras) não faz a DFC, comprometendo o sucesso gerencial de seus clientes.

Por outro lado, sem fluxo de caixa fica quase impossível projetar, planejar financeiramente. Sem orçamento (planejamento financeiro) é impossível ter umaadministração sadia.

Segundo Marion (2008), algumas pessoas mais organizadas têm seu fluxo de caixa através do extrato recebido do banco ou do cartão de crédito, ou ainda fazem anotações em sua agenda , e, em alguns casos, montam um planilha em seu laptop.

Uma dona de casa, além de ter, nem que seja na memória, seu fluxo de caixa, vai mais longe: projeta seu fluxo de caixa(orçamento financeiro) para saber quanto ela pode gastar até o final do mês.

Entre as três principais razões de falências ou insucessos de empresas, uma delas é a falta de planejamento financeiro ou a ausência total de fluxo de caixa e a previsão de fluxo de caixa (projetar as receitas e as despesas da empresa).

Sem um fluxo de caixa projetado a empresa não sabe antecipadamente quando precisaráde um financiamento (e normalmente sai desesperada, quanto seu caixa estoura, fazendo as piores operações que existem: cheque especial, desconto de duplicatas...) ou quando terá ainda que temporariamente, sobra de recursos para aplicar no mercado financeiro (ganhando juros, reduzindo o custo do capital de terceiros emprestado). Daí os insucessos financeiros.

Segue abaixo um modelo de fluxo caixa muito utilizado nos dias de hoje.


Itens

Dia 01

Dia 02

Dia 03

Total

Saldo Inicial

5.000,00

6.700,00

6.200,00

Vendas à Vista

3.000,00

2.500,00

2.800,00

8.300,00

Duplicatas à Receber

6.000,00

3.800,00

3.700,00

13.500,00

Total de Recebimentos

9.000,00

6.300,00

6.500,00

21.800,00

Compras à Vista

2.500,00

3.200,00

2.900,00

8.600,00

Duplicatas à Pagar

4.800,00

3.600,00

4.500,00

12.900,00

Total de Pagamentos

7.300,00

6.800,00

7.400,00

21.500,00

Saldo Final

6.700,00

6.200,00

5.300,00


Item 1  Saldo inicial, é o saldo final do dia anterior.

Item 2  Recebimentos, neste item temos um exemplo de vendas a vista e duplicatas a receber esta tudo que recebi no dia e o que receberei em alguns dias.

Item 3 -Pagamentos, neste item esta um exemplo de compras a vista e duplicatas a pagar, esta tudo que paguei no dia e o que pagarei em alguns dias.

Item 4  Saldo final, nele contempla o saldo a transportar para o dia seguinte, seja ele negativo ou positivo, pois é o saldo inicial mais recebimentos menos os pagamentos, chegando assim no saldo final.

Com a Lei 11.638/2007 que se torna obrigatório a apresentação deste controle, com certeza será de grande beneficio para as empresas. Também busca criar condições para harmonizar as práticas contáveis adotadas no Brasil e as demonstrações contábeis correspondentes com as práticas e demonstrações exigidas nos principais mercados financeiros mundiais, e esta padronização de regras com o mercado internacional facilita a análise das demonstrações por investidores estrangeiros interessados em aplicar recursos em nosso pais.

Conclusão

Após o desenvolvimento deste trabalho concluímos que o fluxo de caixa é um instrumento de controle que tem por obejtivo auxiliar o empresário a tomar decisões sobre a situação financeira da empresa Consiste em um relaório gerencial que informa toda movimentação de dinheiro (entradas e saidas), portanto é extremamente importante para as empresas, é essencial para que as mesmas tenham sucesso, que sem o fluxo de caixa as empresas ficam impossibilitadas de se planejar, de se ter uma administração sadia, concluímos também queo desconhecimento do empresário da existência desta ferramenta tão eficaz para um melhor desempenho de sua empresa afeta de modo muito importante a gestão do seu negocio, a lei 11.638/2007 torna obrigatório a apresentação deste controle, certamente as empresas tende a melhorar seus controles, seu planejamento, e consequentemente a sua saúde financeira. Com certeza os empresários no decorrer do tempo não atenderão simplesmente a legislação apresentando este controle, mais terão o fluxo de caixa como uma ferramenta necessária no seu dia a dia.

Referencias

- LEAL BRUNI, Adriano.FAMÁ, Rubens. A Contabilidade Empresarial com aplicações na HP12c e Excel: Volume 3 São Paulo: Editora Atlas S.A., 2006.

- SANTI FILHO, Armande de. Análise do Demonstrativo de Fluxo de Caixa. A chave para a

análise dos equilibrio financeiro das empresas. Enfoque sobre o Ebitida, sobre o Fluxo de Caixa Operacional e sobre as Politicas Finacneiras: 2ª Edição São Paulo: Santi Editora, 2004.

- FREZATTI, Fábio. Gestão do Fluxo de Caixa Diário. Como dispor de um instrumento fundamental para o gerenciamento do negócio: São Paulo: Atlas. 1997.

- COSTA QUINTANA, Alexandre, GONÇALVES MUNHOZ, Cristiane e TEIXEIRA DE AZEVEDO, Sandro. A Demonstração do Fluxo de Caixa: um comparativo histórico e conceitual: Artigo publicado na Revista Brasileira de Contabilidade Julho/Agosto/2007.

- CASTELO BRANCO PONTE DE ARAUJO, Fábio, MONTE HOLANDA, Mariana e VASCONCELOS UCHÔA, Norma. Fluxo de Caixa: importância, composição e aplicação nas empresas: Monografia apresentada na Universidade do Grande Rio em Fortaleza no ano de 2004.

- CAMPOS FILHO, Ademar. Demonstração dos fluxos de caixa: uma ferramenta indispensável para administrar sua empresa: São Paulo: Atlas. 1999.

- MARION, José Carlos. Contabilidade Básica : 8ª Edição São Paulo: Atlas. 2008.

 
Avalie este artigo:
2 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Talvez você goste destes artigos também