A IMPORTÂNCIA DO ENSINO DA FILOSOFIA PARA CRIANÇAS NO ENSINO FUNDAMENTAL
 
A IMPORTÂNCIA DO ENSINO DA FILOSOFIA PARA CRIANÇAS NO ENSINO FUNDAMENTAL
 


O ensino da Filosofia para crianças, surgido no final dos anos 60, como já foi relatado, está envolto a uma série de problemas que vão muito além de entender uma simples disciplina ou outra, tanto que se faz necessário um trabalho criterioso durante a infância cuja finalidade é o de estimular desde cedo as habilidades cognitivas e de argumentação dos alunos. É oportuno identificar as idéias do professor e filósofo Paulo Ghiraldelli (apud MARTINO, 2006, p. 41) "as questões filosóficas estão presentes no cotidiano das pessoas desde cedo, até mesmo, em freqüentes perguntas que as crianças fazem aparentemente simples". Para compreendê-las, o professor precisa utilizar a filosofia como eixo de trabalho em suas aulas, de forma a colaborar no estabelecimento de melhores relações humanas mediante um processo dialogal entre professor e aluno.

Dessa forma, um dos objetivos pelos quais se admite como valioso implantar no currículo do Ensino Fundamental o estudo da Filosofia para Crianças, refere-se ao desenvolvimento do caráter ético, autônomo, criativo, fundamentado na busca de soluções para conflitos, construção de estratégias de trabalho, divergência de idéias e sentido cooperativo para enfrentar problemas. Enquanto disciplina significativa para o desenvolvimento crítico-reflexivo, a Filosofia envolve a própria capacidade de expressar seus pensamentos, sentimentos, opiniões, valores e atitudes que estimulam o educando a participar ativamente das relações sociais, buscando evidenciar a importância dos mesmos para a vida. A partir do estudo da Filosofia busca-se enriquecer a prática educativa para o pensar reflexivo, possibilitando ao professor desprender-se de certas ações conteudistas e repensar novas e melhores formas de realizar sua prática pedagógica proporcionando meios para uma educação crítica que coloca o aluno em sintonia com o que está a sua volta, não como mero espectador, mas como atuante e participante na sociedade. Nesse caso, vê-se o essencial papel da disciplina para um pensar crítico da realidade em que vive, relacionando fatos cotidianos a conteúdos estudados.

A presença da Filosofia na escola gera, tanto no professor quanto nos alunos reais mudanças de comportamento que contribuem para a elevação da auto-estima e até perda de ações agressivas, levando a comunidade escolar a refletir sobre o respeito à individualidade dos outros. Assim, quando a filosofia é ensinada através do diálogo investigativo como se propõe o Centro de filosofia para Crianças Educação para o Pensar, a tendência é que as crianças tornem-se mais críticas, criativas e sensíveis ao contexto em que vivem. A filosofia para crianças serve também para prepará-los educando ao exercício da cidadania no qual se reforça a importância de respeitar os outros, respeitar regras previamente estabelecidas necessárias para a vida em comunidade.

Dessa forma, é notório afirmar que a escola não é apenas mero edifício, no qual existe apenas espaço físico, material, humano, mas, um ambiente de convívio, desporto cultura, troca de experiências e, até mesmo, experimentação. Para tanto, não basta apenas introduzir uma disciplina no currículo escolar, é fundamental que os administradores escolares e educadores revejam o que concebem como educação e comecem a pensar em dinâmicas apropriadas e em boas relações sociais, pois assim, as crianças também terão mais oportunidade para fazer julgamentos inteligentes, escolhas coerentes às suas necessidades e construção de novos conceitos e significados.

A implementação da Filosofia para crianças na rede particular.

O programa teve mais sucesso nas escolas particulares do que nas de rede pública, visto que as mesmas possuem uma visão mais aberta da educação, não se pautando a procedimentos extremamente burocráticos no que remete aos recursos orçamentais para aquisição de materiais pedagógicos para os professores e alunos, além de remuneração de monitores especialmente preparados para o ensino da filosofia.

A amplitude do Programa de Filosofia para Crianças, Adolescentes e Jovens nas escolas particulares deu-se desde as primeiras iniciativas. Isso se deve ao fato de que para implementação da disciplina seria necessária a realização de diversas mudanças/melhorias na escola referente a uma estrutura física adequada, contratação de professores capacitados e maior aproveitamento dos alunos em atividades escolares.

Em nosso estado, especificamente em São Luís, uma das escolas particulares que desenvolve o Programa Filosofia para Crianças, é o Centro de Ensino Upaon-Açu, escola Montessoriana, atingindo alunos da Educação Infantil ao 5º ano do Ensino Fundamental. Dentre as atividades principais que realiza no que se refere ao conhecimento filosófico nesses níveis de ensino, estão palestras, projeção de filmes, mostras filosóficas envolvendo toda comunidade escola. Destaca-se a 3ª Semana Filosófica promovida na instituição entre os dias 17 a 21 de setembro de 2007, que teve como tema gerador: "Reaprendendo a ver o mundo", evento que contou com a presença exclusiva dos alunos e professores da Educação Infantil e Ensino Fundamental (1ª a 4ª série) cujo objetivo era voltado para a apropriação de metodologias que favoreçam um ambiente educativo vivo e dinâmico, capaz de promover uma aprendizagem significativa, interdisciplinar e reflexiva.

O movimento em prol da amplitude da filosofia em termos de adeptos está tendo êxito, o que permite atentar ao verdadeiro sentido do que vem a ser "Educação para o Pensar" e, o Centro de Ensino Upaon-Açu tem procurado demonstrar em suas aulas com crianças, tomando como referência os projetos que envolvem a Filosofia, que o ato de formar o ser humano se dá de dentro para fora recorrendo, sem dúvida alguma a contribuições externas. A formação humana resulta de um ato intencional em que educar compreende acionar os meios intelectuais de cada educando para que ele possa assumir o uso de suas potencialidades físicas, intelectuais e morais, sempre atento ao contexto que está sendo vivenciado. Entende-se a ação formativa da Filosofia para Crianças como uma atividade de grande responsabilidade, portanto, precisa de pessoas qualificadas para exercer a função do educar para o pensar mediante questões filosóficas que visem à formação de um sujeito ético, autônomo e, crítico.

A presença da Filosofia na rede particular é notada pela grande influência que o Centro de Filosofia para Crianças apresenta juntamente com a Editora Sophos no que se refere à assessoria filosófico-pedagógica para o desenvolvimento de uma excelente infra-estrutura de apoio, materiais didáticos e grupos de estudos com vários educadores.

A inserção da Filosofia na rede pública de ensino.

Um dos propósitos do Centro de Filosofia quanto à implantação do Programa Filosofia com Crianças, Adolescentes e Jovens é principalmente a sua inserção em escolas públicas além das escolas particulares, de forma que a Filosofia atenda a toda a comunidade escolar.

A abertura para implantação em escolas públicas por uma série de fatores é rara. Em São Paulo, por exemplo, a informação que se consegue obter, atinge três instituições educacionais: a Escola "Santos Dumont", a EEPG "Eunice Moura Marquezão" (São Miguel Paulista) e a EEPSG "João Prado Margarido (Itaim Paulista) que demonstraram bastante interesse em desenvolver atividades envolvendo a disciplina (BOTTEON e MORAES apud Silveira, 2001); No de São Luis, que não possui no currículo escolar a disciplina Filosofia como obrigatória no Ensino Fundamental, apenas como tema transversal em escolas como Cegel, Cintra, dentre algumas municipais.

A diversidade no âmbito educacional une-se ao fato de que todos os educandos e educadores têm necessidades educacionais e características próprias com as quais enfrentam as experiências de aprendizagem estabelecidas no currículo escolar. Necessidades de superar práticas educacionais dominantes e adaptação constante em uma práxis pedagógica voltada para a conscientização e reflexão do aluno, além da valorização do saber armazenado anteriormente, para que estes possam assimilar os conhecimentos adquiridos no decorrer do ano letivo.

É oportuno ressaltar que o Centro de Filosofia Educação para o Pensar desenvolve além do Programa "Educação para o Pensar: Filosofia para Crianças, Adolescentes e Jovens", o Programa Filosofia na Rede Pública de ensino cujo objetivo é fazer com que a escola realize um trabalho filosófico-pedagógico criativo, crítico e reflexivo, ressaltando, sobretudo, o papel da educação como instrumento prioritário para a reflexão de temáticas que envolvam o relacionamento humano com o mundo, mediante análise de questões sociais que interferem diretamente no plano pedagógico escolar, como: violência, discriminação, ética e valores.

Os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN's) destacam a Filosofia como ferramenta primordial para o processo de aprimoramento do educando como pessoa e na sua formação cidadã, não como tema transversal, mas como eixo principal do conteúdo programático. Sendo assim, apresentar uma visão globalizante, interdisciplinar e mesmo transdisciplinar, a filosofia, ao refletir sobre os pressupostos das ciências, da técnica, das artes, da ação política e do comportamento moral, auxilia o educando a "lançar outro olhar" sobre o mundo e a transformar a experiência vivida numa experiência compreendida.

Faz-se necessário, assim, construir atividades filosófico-pedagógicas de forma diferente e criativa, considerando a complexidade das relações e do mundo atual, dando novo significado ao que se ensina aos alunos, ultrapassando o que explica os usuais livros para buscar outros referenciais em jogos, dinâmicas, desafios e trabalhos em grupo que gerem motivação, para novas investidas.

A problemática em torno da aplicação da disciplina Filosofia em escolas de rede pública de ensino, especialmente no Ensino Fundamental, deve-se ao fato de que a mesma é tida como desnecessária, na medida em que não é obrigatória, esbarrando em problemas de natureza burocráticas, estruturais, sem dar abertura a professores, sem mesmo identificar a importância desse estudo para a formação dos alunos e a construção da cidadania.

Portanto, implantar um trabalho de Filosofia nas escolas, principalmente de rede pública, não é simples. Afinal, Filosofia não se resume apenas em ensinar teorias de filósofos renomados de várias épocas da história da humanidade. O ensino da Filosofia permeia diferentes vertentes que devem ser ampliadas e sempre atualizadas em questões temáticas bem interessantes. Na verdade, considera-se que há um nível de complexidade muito grande para a efetivação do estudo/discussão da Filosofia em escalas dessa natureza. Crê-se que muitas análises ainda precisam ser feitas, a fim de que haja a identificação da necessidade de promover esforços coletivos para quebrar as barreiras que inviabilizam a construção de uma escola pública para educar, realmente, para o exercício consciente da cidadania.

 
Avalie este artigo:
5 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Leidiane Santos
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
PEDAGOGA SÃO LUÍS-MA
Membro desde dezembro de 2008
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: