A IMPORTANCIA DO CONHECIMENTO DA ADMINISTRAÇÃO NA FORMAÇÃO DO TECNICO EM AGROPECUARIA.
 
A IMPORTANCIA DO CONHECIMENTO DA ADMINISTRAÇÃO NA FORMAÇÃO DO TECNICO EM AGROPECUARIA.
 


A IMPORTANCIA DO CONHECIMENTO DA ADMINISTRAÇÃO NA FORMAÇÃO DO TÉCNICO EM AGROPECUÁRIA DO INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ? CAMPUS SERTÃO/RS RESUMO O conhecimento da administração tornou-se imprescindível para a condução de qualquer organização na atual sociedade, sobretudo nas atividades agropecuárias. Por isso, este trabalho tem como objetivo avaliar a importância do conhecimento de administração na formação profissional dos alunos do Curso Técnico em Agropecuária do IFRS ? Campus Sertão. Buscou-se caracterizar o perfil do aluno do referido curso, conhecer as pretensões dos alunos quanto ao seu futuro profissional e verificar o nível de importância que os alunos dão ao conhecimento da administração para a sua vida profissional e propriedade rural. Para alcançar estes objetivos, foram analisados os conteúdos programáticos das disciplinas profissionalizantes do curso Técnico em Agropecuária e foi aplicado um questionário com os alunos da referida instituição a qual atua na formação de Técnicos em Agropecuária. O instrumento de pesquisa utilizado foi composto por um questionário com perguntas fechadas de múltipla escolha e perguntas abertas. Foi utilizada, uma amostra probabilística estratificada de noventa e dois alunos do referido curso, todos do terceiro ano, por tratar-se de alunos mais "maduros" na instituição e por estarem próximos de sua formação profissional. Através do procedimento de pesquisa verificou-se que apenas dez por cento dos conteúdos programáticos das disciplinas profissionalizantes do curso Técnico em Agropecuária possuem alguma ligação com conteúdos da área de administração. Quanto ao perfil dos alunos, a maioria é filho de pequenos produtores rurais. A opção busca de emprego formal foi a mais respondida, porém uma parcela significativa pretende retornar à propriedade rural. A pesquisa revelou também, que grande parte dos alunos entende como importantíssimo o conhecimento da administração para a condução de propriedades rurais e para um futuro profissional mais promissor. O estudo concluiu que o conhecimento da administração é do interesse da maioria dos alunos, e, de acordo com a bibliografia consultada, é de extrema importância para a condução de qualquer organização. Portanto, uma mudança curricular que intensificasse assuntos ligados à administração melhoraria significativamente a qualidade do curso Técnico em Agropecuária dessa instituição. Palavras chave: Conhecimento da administração. Curso Técnico em Agropecuária. Futuro profissional. INTRODUÇÃO De forma geral sabe-se que os empreendimentos rurais não utilizam de nenhuma formalidade na gestão dos negócios e isto é ainda mais eminente nas propriedades menores caracterizadas pela agricultura familiar. A complexidade do agronegócio exige muita capacidade dos seus gestores em toda a cadeia, ainda mais do agricultor familiar que além de cuidar dos negócios, ainda tem as aspirações e desejos dos familiares, estilo de vida e divergências de idéias dos componentes do grupo familiar. O que se espera da agricultura familiar é que esteja preparada para enfrentar desafios externos, tenha visão para aproveitar oportunidades, tenha condições de gerar lucros suficientes para manter adequadamente a família, e o empreendimento atender à expectativa das futuras gerações que continuarão à frente dos negócios. A educação brasileira no que se refere ao ensino técnico em agropecuária prima pelo conteúdo técnico, à formação de profissionais voltados para "o fazer", caracterizando-se por um profissional limitado a funções técnicas, servindo geralmente de mão de obra qualificada para o mercado de trabalho formal em empresas do agronegócio, no meio urbano. O aluno que depois de formado sendo de família de agricultores e que após um período de estudo decide ir para a cidade, consolida ainda mais a idéia de que o meio rural não tem futuro e não é rentável, servindo de desincentivo inclusive para os demais integrantes da família que em uma primeira oportunidade tendem a deixar o meio rural também. Dessa forma, para que se atenda à expectativa de uma mudança deste cenário, visualiza-se a real necessidade de conhecimento sobre gerenciamento da propriedade rural. Este conhecimento pode e deve ser conquistado através da educação do aluno, o então filho do produtor rural. Diante disso, têm-se como objeto de estudo, os alunos do Campus Sertão do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, o qual está situado no Distrito de Engenheiro Luiz Englert, município de Sertão, a 25 quilômetros de Passo Fundo, região Norte do Estado do Rio Grande do Sul e integra a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. A realidade que se vivencia remete este pesquisador a acreditar que a administração é vital para qualquer negócio, sobretudo para a propriedade rural. Dessa forma, percebeu-se a necessidade de avaliar a importância do conhecimento do conteúdo da administração na formação profissional, no caso o objeto de estudo o curso técnico em agropecuária, na visão dos alunos, mais especificamente dos alunos do terceiro ano do curso. Para tanto a pesquisa inicia buscando informações quanto a: a) Caracterização do perfil do aluno do referido curso; b) Pretensões dos alunos quanto ao seu futuro profissional; c) A importância da administração na vida profissional e na propriedade rural, na visão dos alunos; A pesquisa foi constituída de dados secundários através de pesquisa bibliográfica relacionada a importância da administração. Em um segundo momento coletou-se dados primários através da análise da ementa dos conteúdos programáticos do curso técnico em agropecuária, e ainda a aplicação de um questionário aos alunos formandos do referido curso. O presente trabalho ainda apresenta, os resultados obtidos, e sugestões para trabalhos e ações futuras. A IMPORTÂNCIA DA ADMINISTRAÇÃO A administração de forma geral pode ser conceituada como a ação de conduzir racionalmente as atividades de uma organização para que seja lucrativa ou não lucrativa, tratando do planejamento, organização, direção e controle de todas as atividades. Dessa forma pode-se considerar que a administração é imprescindível para a existência, sobrevivência e sucesso das organizações. Drucker 1997 (apud CHIAVENATTO, 2003, p. 10), autor neoclássico, afirma que "não existem países desenvolvidos e países subdesenvolvidos, e sim países que sabem administrar a tecnologia e os recursos disponíveis e potenciais e países que ainda não sabem." O planejamento tem a função de especificar os objetivos a serem atingidos e as ações adequadas para se alcançar esta finalidade. Organizar para que todos os recursos estejam disponíveis nos momentos certos. A direção que trata da execução das ações previamente planejadas, por meio dos recursos disponíveis. A função controle busca assegurar que os objetivos planejados sejam atingidos, por meio do monitoramento das atividades e da execução de ações corretivas, caso sejam necessárias. Esses princípios básicos da administração que são aplicados à indústria e comércio podem ser válidos também para o setor agropecuário. Porém, o setor agropecuário conta com certas particularidades inerentes a fatores externos, como o clima, preço dos produtos, políticas agrícolas, etc..., fatores incontroláveis por parte do administrador. Pode-se dizer que a gestão de uma empresa rural é um processo de tomada de decisão que avalia a alocação de recursos escassos em diversas possibilidades produtivas, dentro de um ambiente de riscos e incertezas características do setor agrícola. Independente do seu tamanho, a propriedade rural requer um gerenciamento adequado para alcançar o desenvolvimento sustentável da propriedade como um todo. Para Taylor 1971 (apud CHIAVENATTO, 2003, p. 56) "a organização e a administração devem ser estudadas e tratadas cientificamente e não empiricamente. A improvisação deve ceder lugar ao planejamento e o empirismo à ciência." Lacki (2006) contextualiza que os principais processos de gerenciamento agrícola de que o administrador/proprietário rural é incumbido são: ? Processos de definição/identificação dos mercados a serem atendidos, de entrega, distribuição dos produtos e do atendimento dos clientes. ? Processos de produção propriamente ditos, como quais os produtos a serem produzidos e em quais quantidades. ? Processos de suprimento, aquisição de recursos necessários (naturais, físicos, financeiros, tecnológicos e humanos). Com isso o proprietário rural tem condições de definir mais adequadamente como produzir, quanto produzir, o que produzir, quando produzir e para quem produzir. Estas respostas podem ser encontradas adotando-se ferramentas de suporte à gestão, utilizadas comumente nas indústrias e comércio, mas que podem servir de subsídio às atividades agropecuárias, como o planejamento, controle da produção, gestão financeira e de custos, gestão da qualidade, marketing e comercialização. Segundo Chiavenatto (2003, p. 15), "A administração tornou-se importante na condução da sociedade moderna. Ela não é um fim em si mesmo, mas um meio de fazer com que as coisas sejam realizadas da melhor forma, com o menor custo e com maior eficiência e eficácia." Portanto, torna-se relevante estudar o conhecimento da administração no curso Técnico em Agropecuária, para que os profissionais tenham condições de entender a estrutura organizacional como um todo e o seu funcionamento para tomar as decisões mais assertivas. CARACTERIZAÇÃO DO ALUNO Através de tabulação dos dados obtidos junto aos entrevistados foi possível caracterizar o perfil dos alunos do curso técnico em agropecuária concomitante do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul ? Campus de Sertão, identificando sua faixa etária, sexo, origem de residência se é rural ou urbana, tamanho da área quando for de origem rural e as atividades agropecuárias da propriedade. Ainda na construção do perfil dos alunos, foi questionado o porquê optaram pelo referido instituto e por que cursar o técnico em agropecuária. Os alunos foram questionados ainda a respeito de suas pretensões futuras, avaliaram a importância do conhecimento da administração para as atividades profissionais e para o seu futuro, tiveram a oportunidade de dar sugestões de melhoria para o referido curso. Na sequência são apresentados e discutidos os resultados obtidos, dentro da lógica apresentada inicialmente. Quanto a caracterização dos alunos, os resultados indicam que 84,8% dos alunos encontram-se em uma faixa etária de 16 a 17 anos. Quanto ao sexo, a predominância é do sexo masculino, com 93%. A grande maioria dos alunos (76%) é oriunda do meio rural. Dos 24% restantes, parte reside na zona urbana e não possuem vinculo algum com atividades (19,5%), e o restante (4,5%) residem na zona urbana, mas são proprietários de áreas rurais. Quanto às áreas em hectares daqueles que são filhos de produtores rurais, a pesquisa constatou que a maioria, 71,6% são considerados pequenos proprietários, pois possuem de 10 a 100 hectares. Apenas 2,7% são empregados rurais. Os filhos de produtores rurais foram questionados quanto às atividades agropecuárias que são desenvolvidas nas suas respectivas propriedades, na finalidade de observar se há prevalência de monocultura e verificar qual o grau de diversificação que estas propriedades estão utilizando. A pesquisa revelou que há uma concentração em atividades de produção de commodities, e o baixo índice de participação de atividades ligadas a transformação destes produtos, como a produção de queijos, embutidos e conservas os quais apresentaram um baixo índice e são atividades que agregam um valor maior ao produto além de agregar também mão de obra para sua produção. Com uma base de conhecimentos sobre o perfil dos alunos passou-se a questioná-los sobre os motivos que os levaram a optar por estudar no Instituto em questão. A maioria das respostas esteve relacionada à imagem positiva que a instituição possui nas regiões de onde estes alunos vêm, a qualidade de ensino também foi reconhecido como um forte motivo de escolha. Os dois motivos somados chegaram a 68,5%. As respostas positivas relacionadas a esta questão são resultado de uma longa história da instituição na formação de profissionais. Na seqüência os entrevistados foram questionados sobre os motivos que os levaram a decidir pelo curso técnico em agropecuária. A resposta que mais apareceu nesta questão foi o gosto pela área de trabalho, 35,2%. Na sequência, ampliar os conhecimentos com 18,9%, e quase empatado, com 18,1%, aprender para aplicar na propriedade e proporcionar melhora na renda familiar. Somados estes dois, chega-se a 37%, de alunos que buscam conhecimentos para melhorar economicamente a propriedade de seus familiares. Quando mencionado melhoria de renda, verifica-se a necessidade de conhecimentos de administração e gerenciamento, pois apenas a técnica não é capaz de preparar o profissional de forma completa para enfrentar o mundo dos negócios e toda a complexidade que envolve o agronegócio. Segundo Mendes (2007), deve-se entender o agronegócio como a soma total das operações de produção e distribuição de suprimentos agrícolas, das operações de produção nas unidades agrícolas, do armazenamento, do processamento e da distribuição dos produtos agrícolas e itens produzidos a partir dele. PRETENSÕES ? FUTURO PROFISSIONAL DOS ALUNOS Os alunos entrevistados foram questionados em relação a suas pretensões quanto a carreira profissional, se pretendem retornar a propriedade rural, quando for o caso de origem rural, se pretendem buscar um emprego no mercado de trabalho formal e uma terceira opção em aberto para aqueles que possuem uma pretensão diferente das opções citadas anteriormente. Ao responder a opção desejada os entrevistados foram indagados ainda na mesma questão o porquê da tomada de decisão. Com esta questão tornou-se possível reconhecer pretensões profissionais e os motivos que os levaram a tal decisão. A opção da empregabilidade formal foi a mais respondida, com 41,3% das preferências, seguida de retornar à propriedade, com 29,35% e continuar os estudos, também com 29,35% das preferências. Os alunos que almejam um emprego formal, atribuíram os mais variados motivos por esta preferência, se destacando a razão da propriedade familiar ser muito pequena e não haver espaço para a agregação de mão de obra, com 21%. Este motivo se confirma ao verificar os números da questão que trouxe as respostas em relação ao tamanho das propriedades rurais, onde a maioria delas são pequenas, isto é, possuem menos de cem hectares. Há ainda o agravante da predominância da exploração de commodities, oitenta por cento das propriedades dos entrevistados exploram apenas o cultivo de culturas anuais ou tem nesta atividade a principal fonte renda. É uma atividade caracterizada pela pouca necessidade de mão de obra, gera uma renda única e restrita, inviabilizando o retorno do aluno formado a propriedade familiar. Para enfrentar estas dificuldades com um maior nível de preparo profissional por parte dos alunos se verifica a necessidade de vincular com intensidade o ensino da administração no curso técnico em agropecuária, para proporcionar uma visão mais abrangente das atividades rurais e auxiliar os profissionais a visualizarem as oportunidades que a propriedade rural pode proporcionar. O mundo dos negócios é cada vez mais complexo, não basta saber apenas produzir com qualidade, se faz necessário gerenciar profissionalmente os processos de produção e gerenciamento de maneira a obter o máximo retorno econômico das atividades. Dos que pretendem buscar um emprego formal, 37% são da zona urbana, isto é, não podem optar pela alternativa de retornar à propriedade. Os alunos que pretendem retornar à propriedade atribuem como principais motivos; o interesse em aplicar os conhecimentos adquiridos para melhorar a propriedade, com 24,3%, seguido de; ajudar a família, com 22%, e melhorar a renda com, 19,5%. Com os resultados desta questão verifica-se a grande influência que a instituição de ensino exerce sobre os alunos, o seu futuro profissional e inclusive as mudanças que pode provocar nas suas respectivas famílias. Diante disso constata-se a grande responsabilidade que as instituições de ensino profissionalizante possuem no processo de educação de seus alunos, tendo em vista as repercussões sociais e econômicas que acontecerão quando estes forem atuar no mundo do trabalho. O ensino da administração melhora o raciocínio crítico do profissional e o auxilia nas tomadas de decisão do dia a dia do trabalho. A independência econômica dos cidadãos e mais especificamente das propriedades rurais, dependem diretamente do nível de conhecimento de seus atores, e a administração aliada às tecnologias de produção são cruciais à obtenção do sucesso. Quando os alunos respondem que estão interessados em melhorar as suas propriedades, ajudar a família, melhorar a renda e até mesmo estarem preparados para uma sucessão, não está se falando apenas em tecnologia de produção e sim de resultado econômico, que é o que se espera de toda e qualquer atividade produtiva. Ainda nesta questão os alunos tinham uma terceira opção em aberto, nesta 29,35% dos entrevistados responderam que pretendem priorizar a continuidade nos estudos após a formação no técnico em agropecuária. Na seqüência todos os alunos entrevistados responderam à questão, se continuar os estudos, qual profissão almeja. A grande maioria, 53,2% optou por agronomia, seguida de medicina veterinária com 25%. Verifica-se que grande maioria dos alunos pretende continuar na área agropecuária. Estas preferências sofrem influencias relacionadas a alguns aspectos tais como: a origem da maioria dos alunos ser rural; a influência que o curso técnico em agropecuária exerce sobre os alunos; e ainda a oportunidade que os alunos vêem de se aprofundar na área profissional a qual optou desde o ensino médio, no caso o curso em estudo. Para encerrar a investigação em relação às pretensões acadêmicas dos alunos, os mesmos responderam se as disciplinas e metodologia utilizadas no curso técnico em agropecuária influenciaram nas tomadas de decisão enunciadas nas questões anteriores e por que. A opção sim foi a mais respondida pela maioria dos entrevistados, com 80,4% e o principal motivo evidenciado foi relacionado a característica que o curso tem de através de seus conteúdos, sugerir o que o aluno trabalhará ou estudará futuramente. Isto é, o curso apresenta de forma clara os conteúdos de modo que os alunos se vêem no futuro desempenhando esta ou aquela atividade, e através desta visualização futura eles tomam as decisões de acordo com o nível de competência que imaginam ter. A IMPORTÂNCIA DA ADMINISTRAÇÃO NAS ATIVIDADES AGROPECUÁRIAS A partir da visão dos alunos, buscou-se identificar qual a importância da administração nas atividades agropecuárias. Para tanto os mesmos foram questionados a este respeito além de serem questionados quanto a qual conhecimento é mais importante, o da técnica ou da administração seguido de por que da resposta. Eles foram questionados ainda, se o curso técnico em agropecuária desse mais espaço a conhecimentos relacionados a administração, o futuro profissional dos alunos seria melhor, pior ou não influenciaria. Os alunos iniciaram esta parte da pesquisa respondendo qual o nível de importância dos conhecimentos de administração nas atividades agropecuárias, utilizando uma escala de avaliação com os termos, importantíssimo, importante, média importância e pouco importante. A maioria, representada por 65,2% consideram a administração importantíssima na condução das atividades agropecuárias, seguido de 33,7% que considera importante. O principal motivo atribuído a administração como conhecimento importantíssimo é o controle, organização e planejamento da propriedade rural, com 35% e a otimização dos lucros na propriedade rural, com 25% das respostas. De acordo com Andrade et. al. (1992), a atividade rural é um negócio muito sério, que convive com custos de produção e oscilação dos preços, os quais são comuns a qualquer tipo de empresa. Porém, se depara ainda com a possibilidade dos imprevistos, como uma doença em um rebanho, uma praga na plantação e os fatores climáticos como as estiagens, chuvas em excesso, granizo, etc. De acordo com as respostas obtidas verifica-se uma grande valorização do conhecimento da administração, de acordo com a opinião dos alunos. Os entrevistados que consideram a administração importante, apresentaram como motivos a otimização da renda e do lucro, a administração da produção, o controle das atividades e a necessidade de gerenciar a propriedade como os principais motivos para fazer tal afirmação. Dando continuidade a abordagem relacionada a importância da administração na vida profissional dos alunos os mesmos responderam se consideram mais importante o conhecimento da administração ou o conhecimento da técnica no exercício das atividades do agronegócio. A maioria dos alunos, ou seja, 65,2% dos entrevistados responderam que ambos os conhecimentos são importantes e dependem um do outro para o sucesso de todas as atividades relacionadas ao agronegócio. Se somarmos este número, à opinião de 10,9% dos entrevistados que acreditam que a administração é mais importante, chegamos à surpreendente marca de 76,1% de alunos que creditam uma grande importância no conhecimento da administração. A questão que trouxe estes resultados ainda solicitou uma justificativa pelas suas respostas. A principal justificativa entre aqueles que optaram por considerar que ambos os saberes são igualmente importantes foi a de que um conhecimento complementa o outro no dia a dia da atividade profissional, com 71,7%, seguido de; para saber optar pela melhor técnica e; para aumentar os lucros, ambas com 10,0% cada. Até o momento seguiu-se uma linha de raciocínio que priorizou a verificação da importância do conhecimento da administração segundo os entrevistados numa perspectiva organizacional. Mas, na seqüência os entrevistados foram questionados a respeito da importância do conhecimento da administração para o futuro profissional. A questão enunciava o seguinte: Se o curso técnico em agropecuária desse mais espaço para assuntos ligados ao gerenciamento e a administração rural, você acha que o futuro profissional dos formados seria; melhor, pior, ou não influenciaria. Seguida de por que da resposta. De acordo com as respostas, para 88% dos alunos o futuro profissional teria condições de ser melhor. Para 8,7% não influenciaria e para 3,3% seria pior para o futuro profissional. Para os alunos que acreditam que o conhecimento da administração melhora a vida profissional, o principal motivo elencado é pela oportunidade de aplicar o conhecimento da gestão em suas propriedades por parte de 19,8%, seguido por aqueles que gostariam de ter mais deste conhecimento, com 18,5% e por aqueles que acreditam que o profissional teria condições de sair mais bem preparado, com 16%. Através destes resultados presentes na pesquisa, visualiza-se exatamente a cultura da instituição, do aprender a fazer fazendo, que surgiu na década de setenta, quando o MEC orientou-se no sentido de reformular a filosofia do ensino agrícola deste país, através da metodologia de escola fazenda, onde o princípio norteador do ensino destas instituições baseava-se no aprender a fazer, fazendo. Verifica-se também, que os alunos apresentam uma grande aceitação quanto ao conhecimento da administração, lhe creditando grande importância. SUGESTÃO DA PESQUISA Em linhas gerais, esta pesquisa trouxe algumas considerações decisivas a respeito da importância do conhecimento da administração na formação do técnico em agropecuária. Os autores estudados apontam a administração como um importante conhecimento para a condução da sociedade moderna, das organizações e, também da propriedade rural, contribuindo com desenvolvimento econômico e social do país como um todo. Ao longo da história da educação brasileira, verificou-se o caráter dinâmico do assunto através das mudanças que ocorreram, e nos prova que as mudanças não só são possíveis como necessárias. A Resolução CNE/CEB Nº 04/99, por exemplo, fornece condições para constantes mudanças em relação aos conteúdos programáticos da grade curricular de cursos técnicos, baseada no estudo das demandas sociais e mercadológicas a que o público pertence. Os dados e informações obtidos através da pesquisa possibilitam a realização de uma sugestão em relação aos conteúdos programáticos da grade curricular do curso Técnico em Agropecuária. Os alunos consideraram em sua maioria, que o conhecimento da administração é fator crucial para o sucesso de sua vida profissional e de suas propriedades rurais, como é o caso da maioria dos alunos que são do meio rural. Portanto, foi evidenciado que os alunos possuem grande aceitação em adquirir maior volume de conhecimentos da área de administração, principalmente no que se refere à administração de propriedades rurais. Portanto, sugere-se que sejam viabilizadas as disciplinas de Gestão de Propriedades Rurais I no primeiro ano do curso, Gestão de Propriedades Rurais II no segundo ano, e Gestão de Propriedades Rurais III para o terceiro ano para que o aluno vá se familiarizando com os temas da Administração desde o primeiro ano de curso. Quanto ao conteúdo programático de cada uma dessas disciplinas, sugere-se: Gestão de Propriedades Rurais I - Breve histórico da administração rural; - Unidades de produção; - Habilidades necessárias ao administrador (humanas; técnicas e conceituais) - Características da exploração agropecuária; - Classificação da empresa rural; - Recursos de produção (terra, capital, trabalho); - Mercado agrícola. Gestão de Propriedades Rurais II - Comercialização e Marketing; - Pesquisa e análise de mercado; - Canais de comercialização e distribuição; - Fatores intrínsecos e extrínsecos de influência nas propriedades rurais; - Variáveis que afetam o desempenho da propriedade rural; - O papel nas pessoas na propriedade rural. Gestão de Propriedades Rurais III - Estratégia empresarial; - Planejamento estratégico; - Planejamento gerencial; - Planejamento operacional; - Custo de produção; - Controle de produção. O acréscimo destas três disciplinas, com uma carga horária a ser analisada, vem para agregar um conhecimento maior na área de administração no que tange a gestão de propriedades rurais. Tendo em vista que a maioria dos alunos é de origem rural e o agronegócio tem apresentado um grande crescimento e vem sinalizando prosperidade para o futuro. Portanto, a instituição de ensino deve fornecer condições profissionais aos seus alunos, suficientes para obterem êxito nas suas atividades profissionais e levarem êxito também para o setor primário do agronegócio, isto é, a propriedade rural, engajando-a de forma proveitosa, ao atual bom momento do setor. CONCLUSÃO Considerando que o conhecimento da administração tornou-se imprescindível para a condução das organizações na atual sociedade, sobretudo nas atividades agropecuárias, este trabalho teve como objetivo avaliar a importância do conhecimento do conteúdo da administração na formação profissional dos alunos do Curso Técnico em Agropecuária do IFRS ? Campus Sertão. Buscou-se ainda, caracterizar o perfil do aluno do referido curso, conhecer as pretensões dos alunos quanto ao seu futuro profissional e verificar o nível de importância que os alunos dão ao conhecimento da administração para a sua vida profissional e para a propriedade rural. Para alcançar estes objetivos foram analisados os conteúdos programáticos das disciplinas profissionalizantes do curso Técnico em Agropecuária e foi aplicado um questionário com os alunos do referido curso. O instrumento de pesquisa utilizado foi composto por dezesseis questões fechadas de múltipla escolha e perguntas abertas. Foi utilizada, uma amostra probabilística estratificada de noventa e dois alunos do terceiro ano do referido curso. A maioria dos alunos pesquisados é de origem rural, são filhos de pequenos produtores rurais que concentram suas atividades agropecuárias na produção de culturas anuais e produção de leite bovino. Sendo que a maioria optou pelo campus Sertão, em função de sua imagem positiva e pela qualidade do ensino. Quanto ao futuro profissional, a opção, busca de emprego formal, foi a mais respondida entre os pesquisados sob a justificativa da área de terra disponível ser insuficiente e não comportar mais mão de obra. Porém, para uma parcela significativa, o retorno para a propriedade rural é a opção, com os objetivos de aplicar os conhecimentos adquiridos e dessa forma contribuir com a família e melhorar a renda. A maioria respondeu que o conhecimento da administração é importantíssimo para as atividades agropecuárias, por melhorar as condições de controle, organização e planejamento, e otimizar os lucros. Avaliaram como mais promissora sua carreira profissional se caso adquirirem maior quantidade de conhecimentos na área de administração. Estes respondentes consideraram ainda, que o conhecimento da técnica e o conhecimento da administração devem estar juntos e dependem um do outro para o sucesso das atividades relacionadas ao agronegócio. Os alunos consideraram em sua maioria, que o conhecimento da administração é fator crucial para o sucesso de sua vida profissional e de suas propriedades rurais, como é o caso da maioria dos alunos que são do meio rural. Portanto, foi evidenciado que os alunos possuem grande aceitação em adquirir maior volume de conhecimentos da área de administração, principalmente no que se refere à administração de propriedades rurais. Após análise dos conteúdos programáticos do curso técnico em agropecuária, verificou-se um baixo nível de conteúdos que tratam do tema administração. Portanto, como proposta desta pesquisa, foi sugerido a criação e inclusão das disciplinas de Gestão de Propriedades Rurais I no primeiro ano do curso, Gestão de Propriedades Rurais II no segundo ano, e Gestão de Propriedades Rurais III para o terceiro ano para que o aluno vá se familiarizando com os temas da Administração desde o primeiro ano de curso. Os resultados do presente trabalho aumentaram a convicção desde pesquisador de que o conhecimento da administração deve ser mais presente entre os conteúdos programáticos das disciplinas do curso técnico em agropecuária, principalmente no que se refere a gestão de propriedades rurais, já que a maioria dos alunos destes cursos é do meio rural e uma parcela significativa deles pretende retornar à sua propriedade após formados. Em suma, pode-se afirmar que a pesquisa possibilitou conhecer melhor os alunos e oportunizou aos mesmos, a reflexão sobre o seu futuro profissional, e sobre a importância de outros conhecimentos necessários para a sua formação. Pois, o aluno é a razão de existir das instituições de ensino e ele deve sempre expressar suas opiniões. Sendo que as mesmas devem ser tomadas em consideração pela própria instituição e pelos órgãos legisladores. REFERÊNCIAS ANDRADE, José Geraldo de; VIEIRA, Guaracy; MORAIS, Vander Azevedo; GUIMARÃES, José Mário Patto; SOUZA, Ricardo de. A Administração da fazenda. São Paulo : Globo, 1992. CHIAVENATO, Idalberto. Introdução a Teoria Geral da Administração. 7 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003. LACKI , Polan. O livro dos pobres rurais. Desenvolvimento Agropecuário: da dependência ao protagonismo do Agricultor. Disponível: Acesso em 10 de setembro de 2010. MANFREDI, S.M. Educação Profissional no Brasil. São Paulo: Cortez, 2003. MENDES, Judas Tadeu Grassi. Agronegócio: Uma abordagem econômica. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007. NASSAR, Paulo. História e cultura organizacional. In: Revista Comunicação Empresarial ? Nº 36, 2000. QUEIROZ, Timóteo Ramos; ZUIN, Luiz Fernando Soares. Agronegócios: Gestão e Inovação. São Paulo: Saraiva, 2006. Resolução CNE/CEB Nº 04/99. Disponível: Acesso em 08 de março de 2010. SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23 ed. Revisada e atualizada. São Paulo: Cortez, 2007.
 
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Endereço: Passo Fundo/RS E-mail: [email protected] Data de nascimento: 31/07/1979 Formação: - Bacharel em Administração. URI - Universidade Regional Integrada - Campus Erechim/RS (2007) - Mestre em Educação Agrícola. UFRRJ - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2011) Atuação prof...
Membro desde agosto de 2011
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: