A IMPORTÂNCIA DA SÍLABA NO ENSINO DE LETRAS
 
A IMPORTÂNCIA DA SÍLABA NO ENSINO DE LETRAS
 


A IMPORTÂNCIA DA SÍLABA NO ENSINO DE LETRAS





JOSUE BORGES DOS REIS


RESUMO

O que é a sílaba? Qual a sua importância para a comunicação humana? Este artigo apresenta e conceitua a sílaba de acordo com o ponto de vista de diversos lingüistas. Enfatiza a importância da sílaba na comunicação e demonstra o seu papel no desenvolvimento da criança com o avanço da idade. Apesar de parecer simples, a sílaba é complexa, possuindo regras próprias. O artigo também fala sobre a estrutura da sílaba segundo a fonologia. Através da pesquisa bibliográfica realizada, percebe-se que o domínio da sílaba é um conhecimento no indivíduo por instinto. É importante para o professor de letras estar ciente desse conhecimento instintivo do aluno e utilizar isso em sala de aula, reforçando e ampliando esse conhecimento.


Palavras- Chave: Sílaba. Fonologia. Língua. Fala. Conhecimento Instintivo.


RESUMO

Que es la sílaba? Cual es su importância para la comunicacíon humana? Este artículo presenta el concepto a los linguistas. Enfatizar la importáncia de la sílaba en la comunicación y demostrar su papel en el desenvolvimento de los niños con el avance de la edad. A pesar de parecer simples, la sílaba es compleja, poseendo reglas propias. El artículo también habla sobre la estructura de la sílaba según la fonologia. Atravez de la pesquisa bibliográfica realizada, se perciebe que el dominio de la sílaba es un conocimento en el indivíduo por instinto. Es importante para el profesor de letras estar consciente de ese conocimiento instintivo del alumno y utilizar eso em el aula de clases, reforzando y ampliando ese conocimiento


Palavras- Chave: Sílaba. Fonologia. Estructura. Conocimiento Instintivo.


INTRODUÇÃO

A silaba, unidade fonêmica elementar, faz parte da língua portuguesa desde que esta começou a ser falada e escrita. Os conceitos de sílaba são vários, mas quase todos defendem a idéia de que a silaba é aprendida instintivamente pelo falante nativo de uma determinada língua. Independente de quantas silabas existam em uma determinada palavra, um falante nativo sempre conseguiria realizar a separação silábica, mesmo que não seja completamente correta. Porque um falante nativo já tem esse domínio sobre as sílabas? De onde ele tirou esse conhecimento? Qual seria a definição exata de sílaba? Existe realmente essa definição?

1. A IMPORTÂNCIA DAS SILABAS


As sílabas são junções de letras. Uma ou mais sílabas são necessárias para formar uma palavra. A quantidade de silabas que podem ser formadas unindo caracteres é quase infinita.
Uma criança, começa a desenvolver a sua oralidade através das sílabas. Silabas como "ma" e "pa" logo se tornam presentes no vocabulário da criança. Conforme aumenta a idade da criança, aumenta também a quantidade de silabas (e, conseqüentemente palavras) que a criança conhece.

1.1. A VOGAL E A SILABA

Segundo Cunha & Cintra, "Quando pronunciamos lentamente uma palavra, sentimos que não fazemos separando um som do outro, mas dividindo a palavra em pequenos segmentos fônicos que serão tantos quantas forem as vogais."
Seguindo desse principio, podemos afirmar que a vogal é necessária para a formação da sílaba. Se um falante qualquer da nossa língua materna fizer uma busca rápida em sua mente, não irá encontrar nenhuma sílaba que não possui vogal.

1.2. CONHECIMENTO INTUITIVO DA SÍLABA

Um falante nativo que tem um domínio de outro idioma tem dificuldade em pronunciar sílabas que ele já tem domínio quando formula palavras no novo idioma. Isso se dá por fatores estudados pela fonética e pela fonologia. Porém, se um falante nativo de um determinado idioma se concentrar no estudo de outro idioma, não terá muita dificuldade de aprender a separação silábica e as funções básicas da silaba daquele idioma. Tente agora em sua mente separar silabicamente a palavra replay (em inglês). Você irá perceber que intuitivamente você saberá separar a duas sílabas da palavra.
Pelo menos na maioria dos idiomas, um falante nativo tem uma intuição bem clara de quantas sílabas uma determinada palavra possui. Geralmente, um falante também sabe conceituar sílaba e percebe intuitivamente quando uma sílaba ocorre em uma palavra qualquer.
Esse domínio sobre as silabas vem da infância, do inicio do desenvolvimento da habilidade da criança em falar e identificar palavras. Nem sempre o conhecimento intuitivo do falante nativo esta correto. No nosso idioma materno, isso se aplica principalmente na separação silábica de palavras com encontros consonantais (como ressonância, por exemplo). Isso se dá pelo fato de que o falante se embasa na oralidade das palavras para realizar a sua divisão silábica.

2. O CONCEITO DE SÍLABA


De acordo com Viana "Uma só vogal, ou differentes associações de phonemas em que entre pelo menos uma vogal, proferidos numa só emissão de voz, numa só expiração, são denominados sýllaba [?]"
De acordo com a definição de Viana e a maioria dos outros autores, a silaba é pronunciada em uma única emissão de voz. Também é de consenso entre a maioria dos autores que a silaba é pronunciada usando apenas uma expiração.
Podemos também definir a sílaba como uma estrutura vocal complexa, regida por normas, porém compreendida intuitivamente por qualquer falante nativo.

CONSIDERAÇÕES FINAIS


Com base nas afirmações apresentadas, podemos perceber que a sílaba tem uma função importante na comunicação. Sendo um conhecimento instintivo do individuo, assim como andar ou respirar, esse é um conhecimento necessário para a comunicação entre dois ou mais indivíduos.
A sílaba é estudada e segue regras construídas para facilitar o seu aprendizado, porém não é necessário que um indivíduo estude sobre a sílaba para realizar uma divisão silábica corretamente, assim como ninguém precisa estudar sobre o funcionamento dos pés e pernas para conseguir caminhar. Esse conhecimento é importante para o professor que atua na área de letras, pois assim ele perceberá que cada um de seus alunos já possui potencial para dominar qualquer conteúdo baseado na sílaba, e passará a desenvolver métodos para aprimorar esse conhecimento ao invés de tentar lhe ensinar novamente ao aluno.

REFERÊNCIAS


Viana, A. R .F. G. Exposição da Pronúncia Normal Portugueza para uso de nacionais e estrantrangeiros. Lisboa: Imprensa Nacional, 1892.

Cunha, C.; Cintra, L. Nova Gramática do Português Contemporâneo. Lisboa: Sá da Costa, 1984.

 
Avalie este artigo:
1 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Aluno do Curso de Licenciatura Plena em Letras pela Universidade Vale do Acaraú, morador da cidade de Macapá-AP. Iniciante nos textos acadêmicos. Por enquanto...
Membro desde maio de 2010
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: