A ginástica geral, da educação física escolar a iniciação em modalidades coletivas
 
A ginástica geral, da educação física escolar a iniciação em modalidades coletivas
 


A GINÁSTICA GERAL, DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR A INICIAÇÃO EM MODALIDADES COLETIVAS 

KÖNIG, Walter Bergson[1]

RESUMO

Objetivo: Este trabalho propôs-se a realizar uma revisão da literatura a fim de identificar o papel da ginástica geral na educação física escolar, com vistas a preparação do aluno para iniciação de modalidades esportivas coletivas.

Método: O levantamento bibliográfico refere-se às publicações na área da ginástica geral e educação infantil. Foram selecionados artigos e analisados, cuidadosamente, através de leitura crítica, visando discutir as formas da educação que poderão ser utilizadas no desenvolvimento motor dos alunos de educação física escolar.

Resultados: Os autores ressaltam a importância da expressão corporal na educação rítmica, onde, não podemos nos esquecer que é de fundamental importância desenvolver nos alunos o gosto pelos sons para que os mesmos, a partir deste, desenvolvam com criatividade e diversidade seus movimentos. Esta prática consequentemente os remeterá na busca de relações nas atividades da vida diária. Fazem referência favorável aos exercícios lúdicos, porém não há consenso quanto ao uso dos demais recursos histórico-críticos. O papel da ginástica geral, é citado como importante para o desenvolvimento motor dos alunos da educação infantil, porém sempre utilizando-se da estratégia da ludicidade, do brincar, do imaginar, a criança pode iniciar o processo de construção da sua cultura de movimento[2].

Conclusão: A ginastica geral tem importante papel no desenvolvimento motor desses alunos, auxiliando-os, tanto em fundamentos para o desenvolvimento de habilidades desportivas, quanto na execução das atividades da vida diária, melhorando a funcionalidade, contribuindo para melhorar e manter a qualidade de vida.

 

Palavras-chave: Ginástica Geral – Educação Física Escolar – Iniciação a Esportes Coletivos.

 

1.     INTRODUÇÃO

Podemos dizer que a ginástica possibilita a transformação das relações humanas, bem como o olhar para dentro de si mesmo. É ela que possibilita ao ser humano um melhor reconhecimento do seu corpo, o compartilhar com o outro, o despertar para o mundo externo.Esta modalidade deveria estar contemplada em todos os currículos escolares, pois causaria em muitas crianças o gosto por outras áreas esportivas.Todas as categorias a baixo citadas tem seu valor próprio que em suma objetivam o mesmo resultado, os benefícios sócios cultural, fisiológicos, cognitivos e estéticos.A ginástica e o caminho para o conhecimento de grandes habilidades.

 

2.      DESENVOLVIMENTO

Este trabalho visa identificar o papel da ginástica geral na educação física escolar, com vistas a preparação do aluno para iniciação de modalidades esportivas coletivas, através da realização de revisão da literatura, de publicações na área da ginástica geral e educação infantil.Foram selecionados artigos e analisados, cuidadosamente, através de leitura crítica, visando discutir as formas da educação que poderão ser utilizadas no desenvolvimento motor dos alunos de educação física escolar, com vistas as métodos utilizados nesta preparação.Os autores ressaltam a importância da expressão corporal na educação rítmica, onde, não podemos nos esquecer que é de fundamental importância desenvolver nos alunos o gosto pelos sons para que os mesmos, a partir deste, desenvolvam com criatividade e diversidade seus movimentos. Esta prática consequentemente os remeterá na busca de relações nas atividades da vida diária. Fazem referência favorável aos exercícios lúdicos, porém não há consenso quanto ao uso dos demais recursos histórico-críticos. O papel da ginástica geral, é citado como importante para o desenvolvimento motor dos alunos da educação infantil, porém sempre utilizando-se da estratégia da ludicidade, do brincar, do imaginar, a criança pode iniciar o processo de construção da sua cultura de movimento[3].

2.1    Ginástica na Educação Infantil

No artigo desenvolvido por FARIA e LESSA[4], relatam uma experiência focando as contribuições que a ginástica proporciona na educação infantil.Os mesmos partiram da investigação da eficácia da metodologia da aplicação da ginástica na educação infantil.Concluindo que ludicidade traz para a criança a oportunidade de descobertas, bem como, da sensibilidade da sua própria cultura, conhecendo o seu corpo e identificando movimentos. A ginástica para essas crianças pode representar muito mais que uma categoria em sua grade curricular, mas sim um fio condutor para aprimorar a qualidade tanto na vida acadêmica da criança, como na vida pessoal da mesma.Compreende-se também que os mesmos defendem a prática do professor que venha a contribuir de maneira eficaz na vida do seu aluno. É pertinente ressaltar que as histórias infantis também são bem vindas na ginástica. O professor deve trabalhar o imaginário onde nesta fase, tudo é possível. A ginástica oferece amplitudes de possibilidades para a sua prática e por isso deve ser muito bem explorada. Desta forma podemos perceber que a vida cotidiana, a arte da poesia, do som, da natureza, das expressões, assim como o sorriso e o choro, ou seja, tudo o que o corpo pode sentir, podem ser manifestadas (os) na ginástica. Assim a criança explora suas potencialidades ampliando o conhecimento de si próprio.

2.2    Benefícios da Ginástica para Atletas Iniciantes de Modalidades Coletivas

O presente artigo refere-se aos fundamentos básicos das modalidades coletivas com relação aos elementos básicos pertinentes na ginástica[5].Compreende-se que a ginástica baseiam-se nos movimentos realizados pelos seres humanos, desde o seu nascimento, sendo este uma das primeiras manifestações do ser humano ao longo da sua existência. Por este motivo, relatam neste artigo as grandes contribuições que os elementos corporais da ginástica podem proporcionar para o desenvolvimento multidimencional do atleta. Desta forma, partem da investigação da eficácia desses elementos no desenvolvimento das habilidades motoras dos atletas que praticam modalidades coletivas, assim como, o handebol, basquetebol, voleibol e futebol.Ressaltam ainda que a ginástica é sem dúvidas um conjunto de movimentos que possibilita a harmonia do corpo. Assim a ginástica contribui com benefícios cognitivos, estéticos fisiológicos contemplando também benefícios na vida social e o cultural do atleta.Compreende-se que um atleta que executa durante sua vida a ginática, tem com mais facilidade habilidades para jogos coletivos pois, a ginástica pode superar limites motores, sociais, culturais, provocando a descoberta do seu corpo, de seus movimentos, podendo assim, aperfeiçoar cada vez mais sua educação postural e seu limites de movimentos.Conclui-se que os benefícios da ginástica na vida de atletas iniciantes de esportes coletivos é extremamente importante. Defende-se assim a ideia de que a ginástica deveria ser implantada nas series iniciais para que futuramente pudesse ajudar no sucesso de muitos atletas. Desenvolvendo por assim dizer a conscientização da importância desta prática durante a vida.
 

2.3    A Ginástica Geral na Educação Física Escolar e a Pedagogia Histórica-Crítica

Este artigo refere-se a investigação em uma escola municipal do Paraná, onde analisam a viabilidade da aplicação da ginástica geral como conhecimento de educação física escolar. Afirmam que devido as características apresentadas, este tipo de modalidade apresenta um ideal valor para o trabalho com ginástica dentro da instituição escolar.[6]A ginástica geral contempla uma infinidade de modalidades e seria realmente a mais indicada para ser executada nas escolas. As modalidades serão, capoeira, dança, teatro elementos circenses dentre outros. Envolvendo assim diferentes saberes, os filosóficos, populares, os artísticos, etc.A metodologia apresentada para o desenvolvimento das aulas aborda uma pedagogia de histórico critica, os quais podem possibilitar para as aulas criatividade em uma perspectiva histórica e sistematizada. Esta metodologia possibilita sem dúvida a interessante forma de trabalhar no aluno a reflexão, a expressão, a criatividade, a espontaneidade, a criticidade sobre si mesmo e sobre o mundo que o cerca.Conclui-se que existe um apelo as mudanças nas práticas desta atividades, sendo necessário adaptações nas práticas diárias na real atividade escolar.

2.4    A Ginástica Geral e Seus Tempos-Espaços-Objetos Lúdicos: Reflexões Introdutórias Sobre os Espaços da Cultura Lúdica Infantil na Escola.

Segundo a SILVA[7], defende a ideia de que a escola deve ser o espaço de interação e conhecimento do professor e aluno. Onde possam vir a descobrir-se como ser humano capaz de exercer suas habilidades, de compartilhar e doar-se de forma consciente, construindo conhecimento.Desta forma, compreende-se que existe uma preocupação inserida neste contexto. Questiona-se se esta pratica a cima citada, realmente acontece nos espaços escolares.Pois, a criança tem o direito de manifestar-se de forma completa. A criança tem o direito de ser estimulada com a o lúdico, existindo um direcionamento muito bem elaborado e pessoas qualificadas para atende-las e orientá-las. O que não deve acontecer é não deixarem a criança formar sua opinião diante dos que lhe é apresentado. Todavia, a cultura lúdica deve ser produzida pela criança.Conclui-se que, a ginástica geral é o caminho para uma perspectiva lúdica,. criativa e participativa.

 

3.      CONSIDERAÇÕES FINAIS

A ginastica geral tem importante papel no desenvolvimento motor desses alunos, auxiliando-os, tanto em fundamentos para o desenvolvimento de habilidades desportivas, quanto na execução das atividades da vida diária, melhorando a funcionalidade, contribuindo para melhorar e manter a qualidade de vida.Para Piaget, o desenvolvimento vem de dentro, como um feijão nasce de dentro, a planta vem de dentro do feijão, o conhecimento já vem de dentro mais pode ter interferência de fora.[8]Como por exemplo, o feijão nasce no sol ele seca, ou no frio ele estraga.“Os professores podem guiá-las oralmente os materiais apropriados mais o essencial é que, para que uma criança entenda, deve construir ela mesma, deve reinventar.Cada vez que ensinamos algo a uma criança estamos impedindo que ela descubra por si mesma. Por outro lado, aquilo que permitimos que descobrisse por si mesma, permanecerá com ela”.(Jean Piaget)Os autores ressaltaram a importância da expressão corporal na educação rítmica, onde, não podemos nos esquecer que é de fundamental importância desenvolver nos alunos o gosto pelos sons para que os mesmos, a partir deste, desenvolvam com criatividade e diversidade seus movimentos. Esta prática consequentemente os remeterá na busca de relações nas atividades da vida diária. Fazem referência favorável aos exercícios lúdicos, porém não há consenso quanto ao uso dos demais recursos histórico-críticos. O papel da ginástica geral, é citado como importante para o desenvolvimento motor dos alunos da educação infantil, porém sempre utilizando-se da estratégia da ludicidade, do brincar, do imaginar, a criança pode iniciar o processo de construção da sua cultura de movimento.

 

4.      REFERÊNCIAL BIBLIOGRÁFICO

CAMPOS, Isaque Alves de. Desenvolvimento e Aprendizagem Motora. Disponível em: . Acesso em 15/06/2012.

 FARIA, Eduardo de, LESSA, Micheli. Ginástica na Educação Infantil. Revista Digital. Buenos Aires, Año 15, Nº 166, Marzo de 2012. Disponível em: . Acesso em 10/06/2012

 

GAMA, Maximiliano Pereira. Ginástica na Escola: movimentos possíveis. Revista Digital - Buenos Aires - Año 15 - Nº 145 - Junio de 2010. Disponível em acesso em 10/06/2012.

 RICCI, Mozar Carlos Pereira et al. A ginástica geral na Educação Física escolar e a pedagogia histórico-crítica. Revista Digital - Buenos Aires - Año 12 - Nº 116 - Enero de 2008. Disponível em acesso em 11/06/2012.

 SALES, Brunna Thais Reis et al. Benefícios da ginástica para atletas iniciantes de modalidades coletivas. Revista Digital - Buenos Aires - Año 16 - Nº 165 - Febrero de 2012. Disponível em acesso em 10/06/2012.

 SILVA, Débora Alice Machado da. A ginástica geral e seus tempos-espaços-objetos lúdicos: reflexões introdutórias sobre os espaços da cultura lúdica infantil na escola. Revista Digital - Buenos Aires - Año 10 - N° 90 - Noviembre de 2005. Disponível em acesso em 12/06


[1] Acadêmico do Curso de Licenciatura em Educação Física do Centro Universitário Claretiano, Pólo Curitiba – RA 1100820.
[2] FARIA, Eduardo de, LESSA, Micheli. Ginástica na Educação Infantil. Revista Digital. Buenos Aires, Año 15, Nº 166, Marzo de 2012. Disponível em:
[3] FARIA, E., LESSA, M. Ginástica na Educação Infantil. Revista Digital. Buenos Aires, Año 15, Nº 166, Marzo de 2012. Disponível em:
[4] Idem 3
[5] SALES et al., Disponível em
[6] RICCI et al., Disponível em
[7] SILVA, Débora Alice Machado da. A ginástica geral e seus tempos-espaços-objetos lúdicos: reflexões introdutórias sobre os espaços da cultura lúdica infantil na escola. Revista Digital - Buenos Aires - Año 10 - N° 90 - Noviembre de 2005. Disponível em . Acesso em 12/06/2012.
[8] CAMPOS, Isaque Alves de. Desenvolvimento e Aprendizagem Motora. Disponível em: Acesso em 15/06/2012.
 
Avalie este artigo:
(3 de 5)
16 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Acadêmico do Curso de Licenciatura em Educação Física do Centro Universitário Claretiano, Pólo Curitiba.
Membro desde junho de 2012
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: