A ÉTICA DO DIA-A-DIA
 
A ÉTICA DO DIA-A-DIA
 


Hoje saí pra fazer uma comprinha no supermercado. Após as compras fui para a fila, aquela que atende até 20 volumes. A fila estava longa e uma senhora que estava a minha frente comentou que a demora acontecia porque as pessoas não respeitavam o limite de volumes. Automaticamente eu dei uma olhada nos carrinhos e logo atrás de mim e ...bingo, um carrinho cheinho de compras, e o dono, sabendo que estava errado, tinha a cara bem amarrada, no caso de alguém interpelá-lo. Dei uma olhada pra ele e segui em frente. Ele continuou lá, impassível. Paguei minhas compras e fui embora.

No caminho resolvi abastecer o carro e parei num posto próximo. Abasteci e enquanto eu aguardava a atendente liberar a máquina apareceu um homem que veio da outra bomba de combustível e, imediatamente entregou o cartão pra moçinha, que meio sem graça o atendeu. Assim mesmo gente. Primeiro podia ser cavalheiro, já que eu sou uma dama, e segundo por uma questão moral. Como estou num período sabático, tentando reclamar menos das coisas pra não virar uma resmungona, fiquei na minha.

Em menos de meia hora assisti a dois incidentes resumem as práticas contra a cidadania, tão comuns hoje em dia. Agora vou falar do meu sentimento como cidadã: - Acho que os valores éticos realmente estão em desuso. Também concluo que existe uma contradição: as pessoas reclamam, e muito da falta de ética dos outros, mas na sua prática cotidiana não a inclui. Como se elas existissem pairando acima da sociedade e dela não fizessem parte.

Para clarear vamos rever alguns conceitos. A ética significa aquilo que é bom para o indivíduo e para a sociedade, portanto onde se definem e se explicam os direitos e os deveres, e tem a ver com o caráter. Já a moral é espaço onde nós o praticamos. Por exemplo: É ético fazer algo de bom pra você, que te beneficie desde que você não prejudique outra pessoa. O que é moralmente permitido, já o contrário, é imoral.

Vamos também lembrar que comumente estes atos: furar fila, jogar lixo no chão, estacionar em vagas exclusivas e especiais, etc.etc...são considerados "apenas" como falta de educação, o que definitivamente não é. Eles ultrapassam o limite da individualidade e invadem um espaço que é do coletivo, dos outros.

Por isso não podemos esquecer que valores éticos vão desde furar uma fila, até a discussão da eutanásia ou da união de pessoas do mesmo sexo, ou da liberação ao aborto, por exemplo.Tudo é igualmente importante na ética social, pois norteia o comportamento dos indivíduos e, em última análise, o rumo da sociedade.Bom, e aí? Ora, a ética social só sobreviverá se for pra todos. Só teremos uma sociedade melhor, mais justa, quando for praticado o princípio elementar da ética social: "o bem para si e para a sociedade". Do resto, não adianta esperar que as mudanças caiam do céu ou venha dos outros. Cidadania é tudo!Enquanto isso, nós mulheres,  continuamos com a nossa missão de criar nossos filhos pra que sejam pessoas diferentes, ou pessoas que façam a diferença. Talvez esta seja a nossa melhor e maior contribuição

 
Avalie este artigo:
(4 de 5)
22 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Lucia Jovelho
Talvez você goste destes artigos também