A Diferença entre Fonética e Fonologia
 
A Diferença entre Fonética e Fonologia
 


RESUMO

O estudo sobre a fonética e a fonologia, teve inicio desde o século XX no qual Ferdinand Saussure foi o responsável em discutir sobre a fonética pelo qual foi de suma importância para o estudo da linguagem, especialmente nos dias de hoje. Dessa forma, há também diversos tipos de variantes na pronunciação, no entanto, isso depende de cada lugar. Porém a estrutura da escrita, fonologia, permanece, por outro lado, há uma modificação na pronunciação, apesar do preconceito lingüístico em todo lugar. A fonética estuda sobre o som da linguagem humana já a fonologia esse tipo de ciência estuda o significado e a estrutura da linguagem.

Palavras chaves: Linguagem, Significado, Estrutura.
ABSTRACT

The study about phonetics and phonetic and phonology have been started since twenty century whose Ferdinand de Saussure was the responsible to talked over about these subjects so important for the study?s language, specially nowadays. Anyway, there are several kinds of ways to make a pronunciation however this depend of each place, in spite of the write to keep the same on the other hand, the sound can be changed, in spite of the preconception language everywhere. All in all, phonetics, talk about the human being language and his sound. And the phonology, this kind of science study the mean of the human language his structure.

Key words: study, started, pronunciation, language, structure.






INTRODUÇÃO

No decorrer da historia da linguagem humana surge a discussão dos parâmetros lingüísticos que há tempos vem sido debatido em diversos níveis, cujo objetivo é mostrar como a fonética e a fonologia estão ligados ao cotidiano.
Esse estudo no qual se diz respeito a fonética, teve inicio no fim do século XIX e inicio do século XX e um dos seus percussores foi Ferdinand Saussure, no qual fez uma analise mais detalhada sobre o assunto de extrema importância do padrão sociológico, psicológico e ideológico.
Portanto, esses dois assuntos vieram para somar ao desenvolvimento lingüístico e mostrar as divergências e as vantagens da fonética e da fonologia.


1 A DIFERENÇA ENTRE FONÉTICA E FONOLOGIA

A fonética e a fonologia, são duas ferramentas de estrema importância para a vida de todos falantes da língua portuguesa, nativa, ou não, para melhor compreensão do ser falante, bem quando se expõem essas duas funções tão usadas no nosso cotidiano, porém pouco analisadas. De acordo com Rocha (1992,p.14):
"estes dois ramos da ciência lingüística não se opõem: antes se coordenam e completam. Porque somente com o apoio numa boa descrição fonética é possível depreender-se, com segurança, o quadro dos fonemas de uma língua."

Assim, percebe-se que a afirmação feita pelo autor rocha lima, tem seu fundamento quando ele faz essa relação, ou seja, não há um foco em apontar e argumentar sobre o mais correto e a melhor função ou distinção, mas a importância delas em se complementarem.
É bem verdade, como já foi mencionado que nem a fonética e a fonologia é mais importante do que a outra, haja em vista que cada um tem uma função essencial em cada aspecto do nosso aparelho fonador, alias, os mecanismos da fala, são nada mais e nada menos, do que um "time de futebol", onde para ter um grande time, o grupo é primordial para que haja êxito, igualmente na língua. Como afirma Claudio Henriques (2007, p.1): O futebol é um sistema de sinais, isto é, uma linguagem. Tem todas as características fundamentais de uma língua. As palavras da linguagem do futebol se formam exatamente como as palavras da língua escrita e falada.
Dessa forma pode-se ter uma visão mais ampla sobre essa ciência que é a fala e apontar as funções onde mais se expõem o aparelho fonador, ou seja, a fossas nasais, véu palatino, lábios dentes, cavidade bucal, língua, dentes, lábios, epiglote, faringe, laringe e cordas vocais.
Mediante a esse "quebra-cabeça", ou seja, a cada ferramenta dessa, há uma essência, função e importância e juntas, quando essas peças são agrupadas, a possibilidade do aparelho fonador agir com perfeição é muito maior e assim sua desenvoltura.
A fonética e a fonologia andam agrupadas em sua distinção metodológica, mediante a isso, essa manifestação cientifica vem se ponderando desde o século XX, em decorrência de vários teóricos que foram importante nesse foco, como Saussure.
A partir dessa esfera, é possível aderir direções para esses dois subsídios, a fonética, no qual, estuda os sons da fala e a fonologia que faz o estudo dos sons da linguagem humana. Lembrando, que nem uma se prevalece sobre a outra, pelo contrario há um complemento.




1.1 FONÉTICA FONOLOGIA E SUAS FUNÇÕES

Para os que enfatizam a gramática normativa, afirmam que a gramática se restringe apenas a morfologia e a sintaxe, por outro lado, há lingüistas que afirmam que fonética, faz parte desse quebra-cabeça, ou melhor, desse "tripé" da língua portuguesa. "toda língua se sustenta num tripé e se manifesta num amplo conjunto policromático"
A fonética, no qual é um objeto de estudo, portanto, uma ciência, tem como foco o estudo dos mecanismo da linguagem humana, especialmente se tratando da emissões sonoras no aparelho fonador.
Esse desenvolvimento da fonética quando apresentado por Ferdinand de Saussure no começo do século XX, faz o estudo necessário de trabalhar o significante da língua, ou seja, houve dicotomia entre as funções da língua e a fala.
Esse significado, que é a fonética e que portanto, dá uma melhor idéia do que é esse sistema do plano da fala e que apresenta sucessivas regras na parte que ordena os aspectos fônicos da fala, ou seja, a preocupação da distinção da fala que varia de região para região.
Dessa forma, é possível fazer uma melhor analise de como se comporta o alfabeto fonético e que há uma grande diferença daquilo que se escreve para o que se diz, tomamos como exemplo a palavra ,cedo.
A letra "c" tem como função sons diferentes, que podem ser de [k] e [s] ou de [z] isso está ligada diretamente a variante lingüista que existe no Brasil. Portanto ,isso se deve a constante mudança da língua, ou seja, ela não é algo estático quando se trata de seu estimulo da fala.
A fonologia, apresenta outro tipo de função bem complementar a fonética, que é da estrutura, que trabalha diretamente ao significante. Ela também pode ser chamada de fonêmica ou fonemática.



Essa ciência que estuda o aspecto fônico natural da língua, ou seja, ela vai se direcionar mais para os sons como função e até a significação lingüística, mediante a isso, ela vai analisar e priorizar a analise fonemática presente na língua. E essa analise fonemática é nada mais nada menos do que identificar os fonemas utilizando a comutação, que tem como função ordenar e por lado a lado o significado das palavras que apresentam aspectos distintos.
Dessa forma, é possível fazer uso da palavra ponta/conta e fazer analise da diferença estrutural de uma para a outra, ou seja, alem delas possuírem um segmento fônico inicial diferente, elas também apresentam significados distintos também. Esses fonemas, podem ser classificados em vogais, consoantes, e semivogais. Neste segmento, podemos canalizar que a vogal, se trata do som formado vibração que há nas cordas vocais.
As consoantes ocorrem um obstáculo em seu som que pode ser parcial ou total, podendo ser oclusiva, quando há um breve fechamento total de ar como nas letras (p,b,t,c,d,q,g). por outro lado, temos as constritivas, que portanto, não há um bloqueio total, que podem ser fricativas, o ar é expelido por conta da fricção nas letras (f,v,s,c,ç,z,ch,j,g) e podem ser também laterais, ou seja, quando o ar passa pelos dois lados da cavidade bucal.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Mediante a esse assunto, no qual foi abordado é possível aderir e ter uma noção mais abrangente a respeito da fonética e a fonologia e suas divergências, do ponto de vista sociológico, morfológico e ideológico e segundo alguns teóricos e dentre eles Saussure, como um dos percussores desse parâmetro lingüístico. De acordo com esse parâmetro percebe-se sua importância e como isso reflete nos padrões gramáticas e no cotidiano.

REFERENCIAS

HENRIQUES, Claudio. Fonética, fonologia e ortografia. Rio de Janeiro, 2007.








A DIFERENÇA ENTRE FONÉTICA E FONOLOGIA
JACIARA DO CARMO FERREIRA
RESUMO

O estudo sobre a fonética e a fonologia, teve inicio desde o século XX no qual Ferdinand Saussure foi o responsável em discutir sobre a fonética pelo qual foi de suma importância para o estudo da linguagem, especialmente nos dias de hoje. Dessa forma, há também diversos tipos de variantes na pronunciação, no entanto, isso depende de cada lugar. Porém a estrutura da escrita, fonologia, permanece, por outro lado, há uma modificação na pronunciação, apesar do preconceito lingüístico em todo lugar. A fonética estuda sobre o som da linguagem humana já a fonologia esse tipo de ciência estuda o significado e a estrutura da linguagem.

Palavras chaves: Linguagem, Significado, Estrutura.
ABSTRACT

The study about phonetics and phonetic and phonology have been started since twenty century whose Ferdinand de Saussure was the responsible to talked over about these subjects so important for the study?s language, specially nowadays. Anyway, there are several kinds of ways to make a pronunciation however this depend of each place, in spite of the write to keep the same on the other hand, the sound can be changed, in spite of the preconception language everywhere. All in all, phonetics, talk about the human being language and his sound. And the phonology, this kind of science study the mean of the human language his structure.

Key words: study, started, pronunciation, language, structure.






INTRODUÇÃO

No decorrer da historia da linguagem humana surge a discussão dos parâmetros lingüísticos que há tempos vem sido debatido em diversos níveis, cujo objetivo é mostrar como a fonética e a fonologia estão ligados ao cotidiano.
Esse estudo no qual se diz respeito a fonética, teve inicio no fim do século XIX e inicio do século XX e um dos seus percussores foi Ferdinand Saussure, no qual fez uma analise mais detalhada sobre o assunto de extrema importância do padrão sociológico, psicológico e ideológico.
Portanto, esses dois assuntos vieram para somar ao desenvolvimento lingüístico e mostrar as divergências e as vantagens da fonética e da fonologia.


1 A DIFERENÇA ENTRE FONÉTICA E FONOLOGIA

A fonética e a fonologia, são duas ferramentas de estrema importância para a vida de todos falantes da língua portuguesa, nativa, ou não, para melhor compreensão do ser falante, bem quando se expõem essas duas funções tão usadas no nosso cotidiano, porém pouco analisadas. De acordo com Rocha (1992,p.14):
"estes dois ramos da ciência lingüística não se opõem: antes se coordenam e completam. Porque somente com o apoio numa boa descrição fonética é possível depreender-se, com segurança, o quadro dos fonemas de uma língua."

Assim, percebe-se que a afirmação feita pelo autor rocha lima, tem seu fundamento quando ele faz essa relação, ou seja, não há um foco em apontar e argumentar sobre o mais correto e a melhor função ou distinção, mas a importância delas em se complementarem.
É bem verdade, como já foi mencionado que nem a fonética e a fonologia é mais importante do que a outra, haja em vista que cada um tem uma função essencial em cada aspecto do nosso aparelho fonador, alias, os mecanismos da fala, são nada mais e nada menos, do que um "time de futebol", onde para ter um grande time, o grupo é primordial para que haja êxito, igualmente na língua. Como afirma Claudio Henriques (2007, p.1): O futebol é um sistema de sinais, isto é, uma linguagem. Tem todas as características fundamentais de uma língua. As palavras da linguagem do futebol se formam exatamente como as palavras da língua escrita e falada.
Dessa forma pode-se ter uma visão mais ampla sobre essa ciência que é a fala e apontar as funções onde mais se expõem o aparelho fonador, ou seja, a fossas nasais, véu palatino, lábios dentes, cavidade bucal, língua, dentes, lábios, epiglote, faringe, laringe e cordas vocais.
Mediante a esse "quebra-cabeça", ou seja, a cada ferramenta dessa, há uma essência, função e importância e juntas, quando essas peças são agrupadas, a possibilidade do aparelho fonador agir com perfeição é muito maior e assim sua desenvoltura.
A fonética e a fonologia andam agrupadas em sua distinção metodológica, mediante a isso, essa manifestação cientifica vem se ponderando desde o século XX, em decorrência de vários teóricos que foram importante nesse foco, como Saussure.
A partir dessa esfera, é possível aderir direções para esses dois subsídios, a fonética, no qual, estuda os sons da fala e a fonologia que faz o estudo dos sons da linguagem humana. Lembrando, que nem uma se prevalece sobre a outra, pelo contrario há um complemento.




1.1 FONÉTICA FONOLOGIA E SUAS FUNÇÕES

Para os que enfatizam a gramática normativa, afirmam que a gramática se restringe apenas a morfologia e a sintaxe, por outro lado, há lingüistas que afirmam que fonética, faz parte desse quebra-cabeça, ou melhor, desse "tripé" da língua portuguesa. "toda língua se sustenta num tripé e se manifesta num amplo conjunto policromático"
A fonética, no qual é um objeto de estudo, portanto, uma ciência, tem como foco o estudo dos mecanismo da linguagem humana, especialmente se tratando da emissões sonoras no aparelho fonador.
Esse desenvolvimento da fonética quando apresentado por Ferdinand de Saussure no começo do século XX, faz o estudo necessário de trabalhar o significante da língua, ou seja, houve dicotomia entre as funções da língua e a fala.
Esse significado, que é a fonética e que portanto, dá uma melhor idéia do que é esse sistema do plano da fala e que apresenta sucessivas regras na parte que ordena os aspectos fônicos da fala, ou seja, a preocupação da distinção da fala que varia de região para região.
Dessa forma, é possível fazer uma melhor analise de como se comporta o alfabeto fonético e que há uma grande diferença daquilo que se escreve para o que se diz, tomamos como exemplo a palavra ,cedo.
A letra "c" tem como função sons diferentes, que podem ser de [k] e [s] ou de [z] isso está ligada diretamente a variante lingüista que existe no Brasil. Portanto ,isso se deve a constante mudança da língua, ou seja, ela não é algo estático quando se trata de seu estimulo da fala.
A fonologia, apresenta outro tipo de função bem complementar a fonética, que é da estrutura, que trabalha diretamente ao significante. Ela também pode ser chamada de fonêmica ou fonemática.



Essa ciência que estuda o aspecto fônico natural da língua, ou seja, ela vai se direcionar mais para os sons como função e até a significação lingüística, mediante a isso, ela vai analisar e priorizar a analise fonemática presente na língua. E essa analise fonemática é nada mais nada menos do que identificar os fonemas utilizando a comutação, que tem como função ordenar e por lado a lado o significado das palavras que apresentam aspectos distintos.
Dessa forma, é possível fazer uso da palavra ponta/conta e fazer analise da diferença estrutural de uma para a outra, ou seja, alem delas possuírem um segmento fônico inicial diferente, elas também apresentam significados distintos também. Esses fonemas, podem ser classificados em vogais, consoantes, e semivogais. Neste segmento, podemos canalizar que a vogal, se trata do som formado vibração que há nas cordas vocais.
As consoantes ocorrem um obstáculo em seu som que pode ser parcial ou total, podendo ser oclusiva, quando há um breve fechamento total de ar como nas letras (p,b,t,c,d,q,g). por outro lado, temos as constritivas, que portanto, não há um bloqueio total, que podem ser fricativas, o ar é expelido por conta da fricção nas letras (f,v,s,c,ç,z,ch,j,g) e podem ser também laterais, ou seja, quando o ar passa pelos dois lados da cavidade bucal.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Mediante a esse assunto, no qual foi abordado é possível aderir e ter uma noção mais abrangente a respeito da fonética e a fonologia e suas divergências, do ponto de vista sociológico, morfológico e ideológico e segundo alguns teóricos e dentre eles Saussure, como um dos percussores desse parâmetro lingüístico. De acordo com esse parâmetro percebe-se sua importância e como isso reflete nos padrões gramáticas e no cotidiano.

REFERENCIAS

HENRIQUES, Claudio. Fonética, fonologia e ortografia. Rio de Janeiro, 2007.
 
Avalie este artigo:
1 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Talvez você goste destes artigos também