A Centralização e Descentralização da Administração
 
A Centralização e Descentralização da Administração
 


A CENTRALIZAÇÃO E DESCENTRALIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO
ANDRELLY SGULMARO BUBACK


RESUMO: O texto apresenta uma percepção a respeito da diferença entre as formas de administração centralizada e descentralizada, abordando as particularidades de cada forma adotada.

Palavras-chave: Competência. Decisão. Poder.

Atualmente, as políticas de administração vêm sofrendo profundas mudanças.
Devido aos avanços tecnológicos o acesso as informações se tornam mais eficientes, de maneira que a organização deixa de ser apenas um local de trabalho e passa a ser um local de crescimento e expansão de conhecimento de forma mais intensa que há tempos atrás, pois boa parte do conhecimento corporativo ainda está nas pessoas.

Desta forma, administradores e colaboradores precisam compartilhar as informações e evoluções da organização baseados nos objetivos e metas almejados pela mesma. E para tornar isso mais eficaz é importante delegar as funções e tarefas de maneira mais coesa e precisa para criar um mecanismo de aproveitamento de competências e solucionar melhor os conflitos existentes.

Dentro dos conceitos administrativos, quando ocorre a centralização da tomada de decisões, o individuo no topo possui a mais alta autoridade e a autoridade dos demais indivíduos é escalada para baixo, de acordo com a sua posição relativa no organograma.
As decisões são tomadas por administradores que possuem visão global da empresa, os tomadores de decisão no topo são mais bem treinados e preparados do que os que estão nos níveis mais baixos, as decisões são mais consistentes com os objetivos empresariais globais, a centralização elimina esforços duplicados de vários tomadores de decisão e reduz custos operacionais.

Porém, muitas vezes, as decisões tomadas pela diretoria, que está distanciada dos fatos e das circunstancias, não permite um entendimento preciso da situação, os tomadores de decisão no topo têm pouco contato com as pessoas e situações envolvidas, as linhas de comunicação ao longo da cadeia escalar provocam demora e maior custo operacional.

Ocorre ainda, que as decisões envolvendo pessoas intermediárias possibilitam maiores distorções e erros pessoais no processo de comunicação das decisões.

No caso de se adotar a política de descentralização da administração, a autoridade capacitada para tomar a decisão ou iniciar a ação deve ser delegada ao que está o mais próximo possível da situação pois eles terão maiores informações sobre a situação e poderão atuar de maneira mais eficiente já que conhecem o processo e os envolvidos nele. Este tipo de atitude gera maior confiança e motivação no grupo.

A administração descentralizada gera uma maior identidade dos administradores médios com a organização, e, por mais que os custos de treinamento e seleção, destes administradores, possam ser elevados, esse processo cria envolvimento dos colaboradores no intuito de serem reconhecidos pelo seu esforço dentro da organização.

O que pode gerar conflitos neste tipo de administração é a falta de informação e coordenação entre os departamentos envolvidos. E para evitá-los, a empresa deve cuidar para que as decisões sejam baseadas sempre no objetivo empresarial e não apenas departamental.

A descentralização da administração é uma ferramenta altamente eficaz para o desenvolvimento da organização, pois, otimiza o tempo, desenvolve melhor os colaboradores e cria envolvimento dos subordinados no processo decisório, mas é importante que a descentralização das decisões seja realizada de maneira segura, baseada na competência do administrador tomador de decisão e que seja esclarecido aos envolvidos sobre o poder que este detém.

A descentralização deve estar orientada pelas relações colaborativas, na integração estratégica, na melhoria dos processos e na autogestão baseados na responsabilidade e no consenso entre as pessoas que detém o poder da informação e do conhecimento.

Num mundo de complexas mudanças, as organizações devem ser democráticas e incentivadoras, transformando-se em sistemas de aprendizagem organizacional.

É ainda considerável, o fato de que, o poder na mão do ser humano faz com que sua essência venha à tona e torne-a visível a todos os que com ele convivem e devido a isso, este fato deve estar evidente e ser também uma preocupação no momento de se delegar poder a qualquer pessoa.
 
Avalie este artigo:
5 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Brasileira, solteira, 28 anos, graduada em Gestão de Recursos Humanos.
Membro desde dezembro de 2010
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: