A ATIVIDADE FÍSICA NA VIDA AS CRIANÇAS ESPECIAIS
 
A ATIVIDADE FÍSICA NA VIDA AS CRIANÇAS ESPECIAIS
 


A CONTRIBUIÇÃO DO ESPORTE E DA EDUCAÇÃO FÍSICA PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA DO ALUNO PORTADOR DE DEFICIÊNCIAS NA MELHOR IDADE, NA ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS DA CIDADE DE CURVELO MG.

SILVA, Geraldo Magela *

RESUMO
O objetivo deste artigo é buscar visar o entendimento e a importância da função da Educação Física no ensino dos Portadores de Deficiências da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais da cidade de Curvelo, que mostra a imprescindível importância na valorização do profissional que visa exercer com plena consciência as suas atividades. A oportunidade de realizar atividades, sejam elas no âmbito da Educação Física ou em projetos especiais, como treinamentos de modalidades específicas e/ou eventos, favorece o processo de inclusão de pessoas com deficiência, a qualidade de vida. Observa-se se essas atividades são programadas de modo a respeitar a integridade emocional, social e física das pessoas, abrindo espaço para revelar seu valor e explorar seu potencial. Na intenção que esse artigo cumpra a sua finalidade é necessário abordar alguns aspectos significativos que será exposto de maneira separada, garantindo, seu caráter indissociável, alcançando o objetivo geral vislumbrando o foco na observação de como o profissional se integra nas diversas experiências e a integração do esporte na vida dos alunos com deficiências da área estudada neste artigo.

Palavras-Chave: Qualidade de Vida. Portador de Deficiências. Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais.

ABSTRACT
This paper aim is to seek the understanding and importance of the role of physical education in teaching with Disabilities Association of Parents and Friends of City Curvelo, which shows the crucial importance of the valuation professional who seeks to exercise with mindfulness their activities. The opportunity to engage in activities, whether in the context of physical education or special projects such as training for specific procedures and / or events, promotes the process of inclusion of persons with disabilities, quality of life.Note whether these activities are scheduled so as to respect the integrity emotional, social and physical persons, opening up space to reveal its value and explore their potential. In the intention that this article fulfill its purpose it is necessary to address some significant aspects that will be exposed so separately, ensuring its indissoluble character, reaching the general objective of discerning the focus on observation of how the business is incorporated in various experiments and integration of sport in the lives of students with disabilities in the area studied in this article.

Keywords: Quality of Life. With a disability. Association of Parents and Friends of Exceptional Children.

INTRODUÇÃO

A escolha deste tema é pelo fato de trabalhar com portadores de deficiências na rede de ensino APAEANO e junto deles sentir a necessidade de lhes proporcionar qualidade de vida, uma melhor adaptação social, o aumento de sua auto-estima e a sua valorização esportiva. Percebe-se que a autonomia desses alunos é fator preocupante tanto no meio familiar quanto no âmbito social, e a escola, mais precisamente nós educadores, podemos contribuir e proporcionar a esses indivíduos condições de melhoras, fazendo com que seus anseios e necessidades sejam resolvidos mesmo que em parte, e futuramente, na sua amplitude. Esse indivíduo será capaz de resolver seus problemas, suas necessidades e buscar os seus direitos, por si.
Junto à necessidade de instrução e capacitação desses alunos vem também a necessidade de capacitação e instrução dos familiares, quanto ao crescimento biológico de seus filhos e a inserção do mesmo na sociedade como um todo,quer seja no meio escolar ou mesmo no convívio diário do portador de Necessidade Especial. Faz-se importante entender o conceito básico de Deficiência Física.
Soares (2006, p.13) diz que:

A Educação inclusiva enfatiza a necessidade de integrar todas as crianças com necessidades em escolas regulares, inclusive as crianças com necessidades especiais e para que os educadores possam receber essas crianças é lógico que teremos de ter uma Pedagogia voltada e centrada na criança, que atenda a todos sem descriminação e sem a colocação de obstáculos que possam comprometer o processo de ensino-aprendizagem.

De acordo com Costa (1993, p.43), deficiência física é "toda e qualquer alteração no corpo humano, resultado de um problema ortopédico, neurológico ou de má formação, que leva o indivíduo a uma limitação ou dificuldade no desenvolvimento de alguma tarefa motora."
Com toda experiência vivida posso verificar que a educação física escolar tem como base resgatar uma educação para todos, principalmente no que se refere aos alunos que apresentam necessidades especiais. Isso significa dá oportunidades ao aluno, com necessidades educativas especiais de conhecer suas possibilidades e vencer seus limites, facilitando a sua participação sempre que possível nas aulas de Educação Física, promovendo a interação entre todos os alunos.
A busca por conhecimento, a satisfação de alunos e familiares promovida pela pesquisa objetivada deste projeto virá comprovar fatos e fatores que possam ser correlacionados para fins de estudo da minha pesquisa acadêmica.
A associação de pais e amigos dos excepcionais de Curvelo funciona em conjunto com a escola especial Padre Paulo Ruthen, a Rua Francisco Gabriel Jovita, nº (), bairro Passaginha possui sede própria com estrutura física composta de área clínica, salas de aula, fisioterapia, setor de atividades profissionalizantes composto de cozinha, sorveteria, tapeçaria. Possui parque quadra poliesportiva, piscina e bosque. Seu quadro de docentes comporta ( ) professores e assistentes de turma; seu quadro discente possui ( ) alunos, o quadro técnico( ) profissionais sendo parte deste, médico, dentistas, fonoaudióloga e terapeuta ocupacional. Os demais compõem o quadro de limpeza.Todo esse corpo é coordenado e administrado por uma diretoria executiva e uma diretoria administrativa,tendo com presidente o Sr. Leonardo Lincoln Prates e como diretora a Sª Celmi Buitrago Aquino.
O trabalho tem objetivo de investigar o nível de satisfação do aluno portador de necessidades especiais, a participação e o comprometimento da família, e os motivos que contribuem para a promoção da qualidade de vida desse aluno juntamente com a sua formação biopsicossocial dentro do âmbito esportivo?
Ao explorar todo o objetivo maior do trabalho observamos objetivos fundamentais que exploram a conclusão deste trabalho, como:
? Identificar explicações para a satisfação e a melhoria da qualidade de vida dos alunos da APAE de Curvelo.
? Analisar a participação escolar, familiar, social e esportiva desses alunos que irá levá-los a crescer socialmente.
? Avaliar o comportamento dos profissionais das redes de ensino especial, municipal e estadual quanto à participação desse aluno frente à inclusão sócio-esportiva.
Trabalhar com alunos portadores de necessidades especiais e junto deles, sentir a necessidade de estar proporcionando-lhes a inclusão social, tão falada hoje em dia, aumentar-lhes a auto- estima e valorizá-los em eventos os quais a participação dos mesmos, requer uma mobilização individualizada, só será possível mediante um trabalho conjunto dos diversos programas que compõem o quadro de profissionais da APAE de Curvelo MG. Fazer com que a comunidade conviva junto aos portadores de deficiências, (já que estamos no enfoque da inclusão social), buscar conhecimento a mais, e ver a satisfação dos alunos participando de atividades inclusivas, competições, e eventos sociais irá oportunizar a melhoria da qualidade de vida, quebrando barreiras e diminuindo o sedentarismo do portador de necessidades especiais.
Ocorrendo a degradação do sedentarismo, o mesmo deixará de ser obstáculo na vida do portador de deficiências. Trazer a família e a sociedade para junto do nosso trabalho é um fator de suma importância para um desempenho maior desses indivíduos, pois além de oportunizar-lhes conhecimentos técnicos- científico de como trabalhar o dia a dia junto de seus filhos, e fatores sócio-esportivos, estaremos capacitando e oportunizando a esses familiares conhecimentos os quais serão pontos chave na parceria para vencer as barreiras e diferenças na vida dos seus filhos. Ocorrendo a redução da degradação social, o desenvolvimento do indivíduo oportunizará a ele usufruir o mais alto grau de capacidade do cidadão vencendo as barreiras das diferenças e preconceitos combatendo as subordinações de gênero, políticas étnicas, religiosas, culturais, etc.
O esporte como agente de inclusão; Entende-se por, "toda e qualquer atividade que, levando em considerações as potencialidades e as limitações físico-motoras, sensoriais e mentais dos seus participantes, propicie a sua efetiva participação nas diversas atividades esportivas recreativas e, conseqüentemente, o desenvolvimento de todas as suas potencialidades." (AZEVEDO, BARROS, 2004, p 79).
Desde que esteja alinhado, o esporte com uma política social que englobe governo e sociedade, pode transformar-se em poderosa ferramenta contribuinte para o processo de inclusão social de pessoas portadoras de deficiências. Mas pra que possua força política e esteja presente nos diversos mecanismos e programas sociais, o esporte necessita de conscientização de sua relevância para que ocupe lugar de destaque nos planejamentos e projetos dos governantes. Assim sendo, sair da entidade e ir para praças, clubes, academias e ruas da cidade de Curvelo, mostrando à sociedade o potencial de cada um se faz necessário.





METODOLOGIA

Este projeto constituirá de pesquisa bibliográfica e de intervenção, qualitativa (área educacional), buscando na fonte o tema escolhido. Em nossa pesquisa iremos verificar a aceitação, a participação e o convívio dos portadores de necessidades especiais junto ao meio social bem como sua inclusão social. Com a bibliografia iremos pesquisar e conhecer conceitos e definições de autores sobre o tema abordado
Realizando atividades nas vias públicas, praças, clubes, academias, etc.. estaremos mostrando á sociedade quem é o portador de deficiência e qual é sua posição, e condição social. Ampliar dentro da rede de ensino os conhecimentos básicos sobre tarefas e atividades do cotidiano o tornará uma pessoa ativa, e não aquele indivíduo passivo mediante o seu problema. A família participando, terá melhor visão de como na ausência de um professor que convive grande parte ou praticamente o dia todo com esse aluno, ministrando-lhe desde atividades básicas a tarefas do cotidiano, ganhar maior aporte de informações técnicas para lidar melhor com seus filhos em diversas situações tais como atividades da vida diária (AVD) e atividades da vida prática (AVP), surtos, informações sobre saúde, sexualidade, etc.
O envelhecimento e o sedentarismo deixarão de existir como preocupação na vida desses familiares, dando lugar a um portador de deficiência autoconfiante, um cidadão cuja capacidade será observada?, o que aumentará seu egocentrismo com relação a sua independência e sobrevivência junto ao meio social. As atividades esportivas e recreativas ministradas farão com que os mesmos evoluam biopsicosocialmente, tanto pelo lado emocional quanto pelo lado do autocontrole. Atividades de caminhada, natação, hidroginástica, jogos lúdicos, ginástica e musculação em academias, farão com que ele se sinta capaz e darão uma visão futurística de como viver em um mundo globalizado, em um mundo de inclusão.
O importante no momento é a evolução de um quadro sedentário, para um quadro participativo onde o portador de deficiência e a família irão colher frutos de todo um trabalho voltado para o crescimento e a independência do mesmo, em diversas atividades.
Vejo que os alunos envolvidos com esportes na APAE de Curvelo, MG assim como seus familiares estão caminhando para um processo evolutivo da questão enfocada-a idade avançada- que dentro da sociedade e da realidade que eles enfrentam desde seu nascimento passou a ser algo preocupante.
As barreiras do medo estão sendo quebradas, pois antes eles eram receosos por deixar seus filhos viajar para participar de jogos ou outros eventos, hoje já confiam mais e dão créditos àqueles a quem os acompanha em viagens e eventos. Créditos sobre benefícios do esporte para esses alunos-atletas são visíveis com relação à convivência social e culturais quando as mesmas param de acontecer por qualquer motivo que seja os familiares procuram saber por que isso está acontecendo. Enfim, creditamos um melhor desempenho disciplinar desses alunos na instituição, dentro e fora da sala de aula.
A mudança de conduta e participação desses alunos é visível. Em nossa pesquisa, veremos relatos de professores, pais, pedagogas, e outras pessoas quanto à evolução desse quadro. O esporte em prol da promoção da qualidade de vida, com atividades e tarefas do dia a dia do portador de necessidades especiais, o vínculo da família junto ao trabalho realizado com seus filhos, a promoção da inclusão sócio-esportiva através de atividades em praças, clubes, academias, e vias públicas promoverá a inclusão social dos alunos portadores de necessidades especiais na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais na cidade de Curvelo, Minas Gerais e irá ajudar a diminuir o quadro de sedentarismo, aumentar a auto-estima melhorar o crescimento, a independência, e o quadro biológico dos mesmos.














CONSIDERAÇÕES FINAIS

Pode-se concluir que existe um grande avanço nos processos de universalização da escolarização básica, o aumento das taxas de permanência e a diminuição dos índices de analfabetismo indicam a diminuição progressiva dos índices de exclusão educacional; existe também o grande processo de inclusão, porém projetos específicos devem ser instaurados no contexto geral, como: aperfeiçoamento de professores, estrutura que não reprima o aluno a ser incluso e sim promova sua autonomia de maneira hábil e tranqüila perante a sociedade.
Os alunos assistidos têm acompanhamento e se sentem capazes de se identificarem enquanto cidadão, pois existe por parte da instituição um apoio individual a cada aluno, respeitando suas limitações e ao mesmo tempo lhes dando asas conforme suas habilidades.
Portanto, neste processo longo, porém gratificante não se trata apenas de matricular as crianças nas escolas, mas de garantir que permaneçam e aprendam, se desenvolvam e caminhem com autonomia.

REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

AZEVEDO, P., BARROS, J.F. O nível de participação do Estado na gestão do esporte brasileiro como fator de inclusão social de pessoas portadoras de deficiência. R.bras.Ci e Mov.2004; 12(1): 77-84.
COSTA, ALBERTO MARTINS DA. Educação Física e esportes adaptados. Uberlândia: Universidade Federal de Uberlândia, 1992 in Desporto Adaptado a Portadores de Deficiência: voleibol. Porto Alegre.1993
SOARES, ALEXANDRE ROSA. Inclusão ou integração? Educar para a vida. Abc Educatio. Nº 59 setembro 2006.
 
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Talvez você goste destes artigos também