A assistência de enfermagem ao pacientes portadores de câncer de próstata
 
A assistência de enfermagem ao pacientes portadores de câncer de próstata
 


Autores: Maílle Nandale da Silva Freitas2; Renata de Lima Pessoa- Enfermeira Especializada em Cancerologia na modalidade residência de enfermagem (UPE)- Enfermeira SAMU Natal-RN, Professora- FATERN1.
1. Professora Orientadora da Faculdade de Excelência do Rio Grande do Norte (FATERN).
2. Discente do Curso de Enfermagem da Faculdade Metropolitana de Manaus (FAMETRO).
Resumo:
INTRODUÇÃO: Sendo considerada a segunda neoplasia maligna mais comum no homem, e a segunda causa de morte. No câncer de próstata ocorre o desenvolvimento de um tumor que neste caso atinge a glândula do sistema reprodutor masculino. Acontece devido à mutação e multiplicação celular sem controle, podendo sofrer mestátase a partir do seu sítio primário em direção a outras partes do corpo, especialmente ossos e linfonodos. De acordo com o Relatório Mundial do Câncer, da Agência Internacional de Pesquisa em Câncer, braço da Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que em 2008 tenha havido 12,4 milhões de novos casos de câncer no mundo e 7,6 milhões de óbitos por causa da doença. Na América do Sul, na América Central e no Caribe, estimam-se 1 milhão de casos novos e 589 mil óbitos no mesmo período. Entre os homens dessas regiões, o principal tipo de câncer foi o de próstata1. O câncer de próstata atinge comumente homens acima de 50 anos sendo associado à terceira idade, segundo dados do INCA4. No Brasil, a taxa de mortalidade por câncer de próstata em 2006, último dado disponível, foi de 15,29 homens a cada 100 mil, superada, no caso dos homens, apenas pela taxa de mortalidade por câncer de traquéia, brônquios e pulmão (17,44 homens a cada 100 mil). No entanto, o câncer de próstata foi o que apresentou o maior aumento de mortalidade em dez anos ? quase 40%, ante 6% de crescimento em óbitos por câncer de traquéia, brônquios e pulmão. Os dados são do Atlas de Mortalidade por Câncer, elaborado pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca) e pela Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), em conjunto com a Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) 1. Pode-se presumir que há alguns fatores para desencadear esse agravo, como o fator genético; presença do câncer de próstata em parentes do primeiro grau; fator ambiental: como a fumaça de automóveis, cigarros e outros produtos químicos; fator hormonal: essa neoplasia regride de maneira significativa com a supressão dos hormônios masculinos e fator da dieta baseados em levantamentos epidemiológicos em áreas gráficas de maior incidência de câncer de próstata, notou-se que dietas ricas em gorduras aumentam os riscos de seu aparecimento. Em geral, os pacientes com essa neoplasia, descobrem por acaso, em exames de rotinas, devido o não aparecimento de sintomas, podendo ser camuflado por outras doenças. O diagnóstico é realizado através de exames clínicos, por meio do toque retal e da dosagem do antígeno prostático específico (PSA). O tratamento é através de cirurgias, quimioterapia, radioterapia e hormonioterapia. Diante destes fatores, pode-se observar a necessidade de uma assistência de enfermagem voltada a proporcionar auxílio na identificação dos problemas do paciente, identificando suas necessidades com planejamentos dos cuidados que lhe serão prestados, para que assim o cliente possa obter benefícios através de uma recuperação humanizada e de qualidade. OBJETIVO: Demonstrar a importância da assistência do profissional de enfermagem para o paciente com essa neoplasia, em todas as etapas da doença, desde a prevenção à recuperação, a fim de garantir uma reabilitação eficaz. MÉTODOS: Trata-se de um estudo do tipo descritivo bibliográfico, que visa aprofundar o conhecimento da realidade, desenvolvido através de livros, publicações em periódicos e artigos científicos coletados em bancos de dados eletrônicos. RESULTADO E DISCUSSÃO: É possível observar que pacientes atendidos humanizadamente têm o período de reabilitação mais ameno, muitas vezes, tendo como resultado a diminuição do tempo de internação, proporcionando ao mesmo uma sobrevida maior. Tem o seu sofrimento e de sua família diminuídos. Vale ressaltar, a necessidade de alguns cuidados prestados pelo profissional de enfermagem, para que sua recuperação tenha êxito, como a manutenção do ambiente tranqüilo proporcionando conforto, bem estar e garantindo a Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE). Assim, esse atendimento tem como objetivo a promoção da saúde do cliente e a prevenção de possíveis agravos, por meio do tratamento humanizado e de qualidade. CONCLUSÃO: Constata-se que é importante e necessário as orientações dos profissionais de saúde, enfatizando a atuação do profissional de enfermagem que atua de forma mais próxima ao cliente, onde se deve explicar quanto à importância do tratamento e explanar acerca dos cuidados que lhe serão prestados, visando minimizar os possíveis desconfortos e oferecer maneiras de reabilitá-los.
Palavras-chaves: Assistência de enfermagem, Câncer de próstata, Humanização.


REFERÊNCIAS:
1. Ministério da Saúde. Câncer de Próstata. Disponível em: . Acessado em 25 de Outubro de 2010.
2. GOMES, Romeu; REBELLO, Lúcia Emilia Figueiredo de Sousa; ARAUJO, Fábio Carvalho de and NASCIMENTO, Elaine Ferreira do. A prevenção do câncer de próstata: uma revisão da literatura. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2008, vol.13, n.1, pp. 235-246.
3. GONCALVES, Ivana Regina; PADOVANI, Carlos and POPIM, Regina Célia. Caracterização epidemiológica e demográfica de homens com câncer de próstata. Ciênc. saúde coletiva [online]. 2008, vol.13, n.4, pp. 1337-1342.
4. INCA. Câncer de Próstata. Disponível em: . Acessado em 23 de Outubro de 2010.
5. MIGOWSKI, Arn and SILVA, Gulnar Azevedo e. Sobrevida e fatores prognósticos de pacientes com câncer de próstata clinicamente localizado. Rev. Saúde Pública [online]. 2010, vol.44, n.2, pp. 344-352. ISSN 0034-8910. doi: 10.1590/S0034-89102010000200016.


 
Avalie este artigo:
1 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Maílle Nandale Da Silva Freitas
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Me chamo Maílle, tenho 26 anos, sou acadêmica do curso de Enfermagem, estou cursando o 4 período na instituição de ensino FAMETRO, resido em Manaus-AM. Gostaria de ter meus artigos publicados nesse site.
Membro desde abril de 2011
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: